Coimbra  8 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Miranda do Corvo apoia famílias com vales para compras no comércio local

19 de Março 2021 Jornal Campeão: Miranda do Corvo apoia famílias com vales para compras no comércio local

A Câmara Municipal de Miranda do Corvo aprovou um conjunto de medidas de apoio às famílias que perderam rendimentos devido à pandemia da covid-19.

A proposta do Executivo prevê “a atribuição de vales de compras mensais, até ao final do ano, aos agregados familiares do concelho que se encontrem em situação de vulnerabilidade social”, disse a autarquia.

Os vales deverão ser utilizados nos estabelecimentos comerciais locais, estando disponível para este programa 120 000 euros.

Os agregados familiares que pretendam candidatar-se à iniciativa devem residir no concelho há, pelo menos, seis meses e apresentar rendimentos baixos.

Outras das condições alternativas para se aceder a este apoio financeiro passa pela integração de elementos menores que beneficiem do 1.º ou 2.º escalão do abono de família; beneficiarem do Rendimento Social de Inserção (RSI) e “a integração de um ou mais elementos estudantes do ensino superior que beneficiem de bolsa de estudo anual, subtraído da propina efectivamente paga, igual ou superior a 2 200 euros por ano”, informou a Câmara Municipal de Miranda do Corvo.

Os cheques família têm o valor mensal de 50 euros para o titular, 35 para cada elemento maior de idade do agregado familiar e 25 para cada membro menor. No caso de o agregado ser composto por dois adultos e uma criança, o cheque atribuído será de 110 euros por mês.

Estes vales terão de ser gastos no mês em que forem atribuídos e não poderão ser utilizados para comprar produtos alcoólicos, tabaco e jogos de sorte e azar.

As candidaturas a este programa vão decorrer entre 22 de Março e 08 de Abril, devendo ser preenchido o formulário disponibilizado no website da autarquia ou nos serviços de atendimento do Município.

Para além disto, deve ser entregue, consoante a situação em que se encontrem, uma declaração da composição do agregado familiar; declaração da Segurança Social (Rendimento Social de Inserção ou com filhos beneficiários de abono de família do 1.º e 2.º escalão); ou comprovativo da atribuição de bolsa de estudo e do valor da propina no ensino superior.

A proposta prevê que, caso os candidatos se encontrem fora das anteriores condições, possam apresentar comprovativos de rendimentos de todos os elementos que compõem o agregado familiar e/ou comprovativo da situação de desemprego.