Coimbra  25 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Miranda do Corvo acusa DGS de falhas graves no reporte de informação

12 de Novembro 2020 Jornal Campeão: Miranda do Corvo acusa DGS de falhas graves no reporte de informação

O presidente da Câmara de Miranda do Corvo acusou, hoje, a Direcção-Geral da Saúde (DGS) de falhas graves na comunicação de informação rigorosa ao Município sobre o número de casos de covid-19.

“Chegámos hoje à conclusão que os dados que nos são fornecidos pela Protecção Civil distrital, com base no reporte do Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior e Baixo Mondego, não incluem todos os casos, nomeadamente os que são realizados por laboratórios privados e que, afinal, constam de uma plataforma da DGS”, lamentou Miguel Baptista.

As declarações do autarca à agência Lusa surgem poucas horas depois de ter sido surpreendido com a inclusão do município na lista de concelhos mais afectados pela pandemia da covid-19, divulgada hoje ao final da tarde, após a reunião do Conselho de Ministros.

Segundo Miguel Baptista, o Município recebia diariamente um relatório do ponto de situação que não “representava a situação real” do número de casos, “o que é uma falha grave, até em termos das forças de segurança locais, que também não tinham conhecimento do número de casos real” para poderem exercer as suas competências de fiscalização.

Os dados oficiais recebidos diariamente apontavam para um total de 17 casos activos ao dia de hoje, “quando a Câmara foi hoje informada que existem 39 casos activos”, o que, de acordo com a população do concelho (13 000 habitantes), “dá um índice de 306 que o coloca na lista de risco elevado”.

“São falhas demasiado graves de informação dentro da estrutura nacional e distrital de saúde, que a DGS tem de corrigir”, sublinhou Miguel Baptista, que se prepara para accionar o Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil a partir das 00h00 de amanhã (13).

Numa reunião de emergência ao final da tarde de hoje, a Comissão Municipal de Protecção Civil exigiu, numa tomada de posição, que doravante as “autoridades locais e a protecção civil municipal sejam informadas da real evolução da pandemia” no concelho.

Para o aumento de casos activos no Município terá contribuído, segundo o autarca, um surto no Centro Social Comunitário da Fundação para a Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional (ADFP) de Miranda do Corvo, que, neste momento, tem cerca de uma dezena de casos positivos.

De acordo com Miguel Baptista, a instituição vai realizar um número significativo de testes já amanhã, cujos resultados serão conhecidos no sábado (14).