Coimbra  8 de Dezembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Mira homenageou Visconde da Corujeira no Dia dos Monumento e Sítios

19 de Abril 2021 Jornal Campeão: Mira homenageou Visconde da Corujeira no Dia dos Monumento e Sítios

O Município de Mira integrou o programa de Comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, no domingo (18), com uma homenagem ao Visconde da Corujeira, através da reposição de um busto no Jardim Municipal.

Segundo a autarquia de Mira, “o Visconde da Corujeira foi uma figura que marcou a sociedade mirense do seu tempo e cuja memória ainda hoje perdura, de forma gratificante, na identidade colectiva”.

Reinaldo Augusto Moreira da Costa e Silva nasceu em Mira, a 6 de Outubro de 1869, filho de Francisco Moreira da Costa Silva (1829-1909 – formado em Direito na Universidade de Coimbra e que chegou a ocupar o cargo de presidente da Câmara Municipal de Mira) e de Belarmina Toscano Ribeiro Pinheiro Sanches Moreira da Costa e Silva (1839-1918), natural da Pocariça.

O Visconde, que não finalizou os estudos superiores, assumiu a administração dos bens da família, ocupando-se da Quinta da Corujeira, Quinta do Cercado, Quinta da Pocariça, Quinta do Cabeço e Quinta e casa de Mira, entre outros, tendo figurado na lista dos 40 maiores contribuintes do Concelho de Mira.

Ainda jovem, casou na Igreja Paroquial de Mira, no dia 11 de Fevereiro de 1889, com Maria Evangelina de Pimentel Calisto (1866-1942), filha de Manuel Maria Pimentel Calisto e de Henriqueta de Jesus Calisto.

Deste casamento nasceu, em Junho de 1893, a primeira filha dos Viscondes, Flávia. Dois anos depois, nasceu Aquiles António e, no decorrer de 1897, Fernando. Em 1900, nasceu José Reinaldo e por fim, no ano de 1911, o último filho do casal, Francisco.

O título de Visconde da Corujeira foi-lhe concedido pelo rei D. Carlos, a 20 de Setembro de 1890 e publicado no Diário de Governo de 23 de Setembro desse mesmo ano.

No decorrer do ano de 1908, o Visconde da Corujeira assumiu a vice-presidência da Câmara Municipal de Mira.

Já mais tarde, mesmo não desempenhando um cargo político, defendeu os interesses do Concelho. Tal se pode constatar na acta da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Mira, de 23 de Julho de 1927, fl.67v, em que o Presidente da Comissão Administrativa “(…) acompanhado do vogal Senhor Dr. Pinho Terrível, do chefe de secretaria da Câmara, do secretário da Administração (…) e do Senhor Reinaldo Augusto Moreira (…)”  apresentou ao Ministro da Justiça “(…) uma representação pedindo que fosse restaurada a comarca de Vagos, mas passando a sua sede para a vila de Mira (…)”

“Ainda hoje é figura de grande consideração e prestígio em Mira, quer pela posição social que ocupou, quer pelo bom trato e afecto para com toda a população em geral”, disse o Executivo.

Reinaldo Augusto Moreira – Visconde da Corujeira morreu com 83 anos, às 17h00 de 22 de Julho de 1953, devido a uma hemorragia cerebral.

A 05 de Julho de 1997, para homenagear a figura emblemática do Visconde da Corujeira, foram colocados no município de Mira dois bustos em bronze, (um no Jardim Visconde da Corujeira, em Mira, e o outro no centro da localidade da Corujeira), obra da autoria do escultor Alves André.

Recorde-se que o busto que estava no Jardim Municipal, ao lado do edifício que foi a casa do Visconde e que acolhe actualmente o tribunal, foi furtado em 2011.

“Com o objectivo de condignamente perpetuar a memória do ilustre benemérito em terras de Mira, o Município tem agora a honra de poder repor um novo busto em bronze, realizado pelo mesmo autor, o escultor Alves André, num justo reconhecimento a uma das figuras de destaque do Concelho de Mira nos séculos XIX e XX”, disse o Executivo.