Coimbra  17 de Junho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Ministério da Saúde inaugurou 10 balcões para teleconsultas na região Centro

13 de Maio 2021 Jornal Campeão: Ministério da Saúde inaugurou 10 balcões para teleconsultas na região Centro

O Ministério da Saúde inaugurou, hoje (13), 10 unidades do SNS 24 Balcão na região Centro, destinados à prestação de serviços digitais e de telessaúde, e espera que, até ao final do ano, sejam instalados 100 em todo o país.

“Estávamos nos 43 [balcões instalados], hoje fazemos mais dez e atingiremos os 100 até ao final de 2021, nas cinco administrações regionais do país”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, em Coimbra, após a cerimónia de assinatura de protocolos com dez autarquias da região Centro para a instalação do balcão SNS24 nas juntas de freguesia.

Na Casa Municipal da Cultura, em Coimbra, foram assinalados protocolos para a instalação de dez novos balcões nos concelhos de Cantanhede, Covilhã, Fundão, Lousã, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Soure, Tondela, Vagos e Albergaria-a-Velha.

Para o secretário de Estado, estes balcões “são soluções engenhosas, porque são simples e úteis e não exigem um investimento significativo em termos infra-estruturais, mas permite que as pessoas possam estar mais próximas e evitem deslocações inúteis, como apenas para marcar consulta ou exame ou fazer renovação de prescrição”.

Diogo Serras Lopes salientou que estes espaços vão permitir reduzir a pressão sobre os centros de saúde e unidades de saúde familiar, com vários serviços que passam a poder ser feitos através de uma teleconsulta.

Questionado pelos jornalistas, o secretário de Estado frisou que esta solução não é uma substituição das extensões de saúde que encerraram.

“Não é uma solução de recurso. É uma boa solução para estes territórios. As soluções que tínhamos há cinco anos são diferentes das de agora e daqui a cinco anos serão diferentes. Estamos em constante evolução tecnológica”, disse, frisando ainda que os recursos humanos “não são infindáveis no Serviço Nacional de Saúde (SNS)”.

Para Diogo Serras Lopes, “é necessário que tenham um SNS cada vez mais eficiente e que possa atender cada vez mais pessoas”.

Os balcões, que serão instalados nos edifícios das juntas de freguesia, permitem prestar apoio a quem tem pouca literacia digital ou que não tenha acesso a equipamentos tecnológicos ou a internet.