Coimbra  24 de Fevereiro de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Metro Mondego adjudica empreitada complementar do Parque de Oficinas

5 de Janeiro 2024 Jornal Campeão: Metro Mondego adjudica empreitada complementar do Parque de Oficinas

A Metro Mondego adjudicou a empreitada complementar do Parque de Material e Oficinas (PMO), que está a ser construído em Ceira, Coimbra, por cerca de 2,2 milhões de euros.

A Metro Mondego (MM), responsável pela futura operação do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM), que vai ligar Serpins (Lousã) a Coimbra com autocarros eléctricos em via dedicada, adjudicou, no final de Dezembro, a empreitada complementar do PMO por cerca de 2,2 milhões de euros à empresa Embeiral, refere a publicação consultada pela agência Lusa no portal dedicado à contratação pública Base.

Esta empreitada complementar constitui “a fase final dos trabalhos do PMO”, nomeadamente trabalhos de arquitectura interiores e exteriores do edifício oficinal, infraestruturas desse mesmo edifício, equipamentos, integração paisagística e construção de um armazém naquele parque, afirmou à Lusa fonte oficial da MM.

A empreitada geral, adjudicada a duas empresas do grupo espanhol FCC por 6,6 milhões de euros, deverá estar concluída “no final do mês de Julho”, esperando-se que a empreitada complementar do PMO possa terminar em Setembro de 2024, esclareceu, referindo que estes prazos estão em linha com aquilo que é o calendário global actual do SMM (que prevê o arranque da linha entre Serpins e Coimbra até ao fim de 2024 e os troços urbanos até ao fim de 2025).

O PMO vai ocupar um terreno com cerca de dois hectares, em Ceira, incluindo diversos edifícios, como a recepção e inspecção de veículos, parqueamento dos autocarros, oficina de manutenção e um edifício administrativo, incluindo ainda o posto de comando do sistema de mobilidade e salas técnicas.

A escolha da zona de Ceira para a instalação do referido parque do SMM remonta a 2008 – altura em que foram elaborados procedimentos de impacte ambiental – depois da localização original, na Quinta do Loreto, a norte da estação ferroviária de Coimbra-B, aprovada em 2004, ter sido abandonada, por interferir com os investimentos previstos de modernização da Linha do Norte.