Coimbra  15 de Novembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Metro: CDS quer saber se PSD mantém confiança na vereadora

26 de Julho 2019

Lúcia Santos, presidente da Comissão Política Concelhia de Coimbra do CDS/PP

 

O CDS de Coimbra questionou o seu parceiro PSD, de coligação na Câmara, se mantém a confiança política na vereadora Paula Pêgo, que passou a integrar a Administração da Metro Mondego.

Lúcia Santos, presidente da Comissão Política Concelhia de Coimbra do CDS/PP “repudia veementemente” aquela atitude e considera que “o ímpeto socialista é tal que esgota os seus quadros e vê-se na circunstância de ter que recorrer ao PSD”.

“Desde já informamos que se chegar ao CDS, recusaremos qualquer proposta de alienação da nossa dignidade cívica e política”, refere Lúcia Santos.

A líder concelhia do CDS diz que o partido “assiste com estupefacção ao assalto que o Partido Socialista está a fazer a entidades públicas, concretamente a entidades em Coimbra e mais especificamente à Metro Mondego”.

“A estupefacção sobe para indignação quando percebemos que esta atitude deplorável do PS, mas não inesperada, é acompanhada por uma sofreguidão e avidez que não vê limites, os limites da ética, de alguém que, tendo sido indicada pelo Partido Social Democrata, foi eleita pela coligação Mais Coimbra, de que o CDS orgulhosamente fez parte”, considera Lúcia Santos.

Refia-se que, ontem, o PSD de Coimbra considerou que o afastamento de João Rebelo e da sua equipa executiva da Metro Mondego “é uma péssima notícia” e entende que o novo Conselho de Administração corresponde “a um negócio político de colonização das entidades públicas pelo PS”.

Na tomada de posição, assinada pelo líder concelhio, Nuno Freitas, o PSD tece críticas a Paula Pêgo, vereadora social-democrata da Câmara de Coimbra, por ter aceite integrar (vogal não executiva) o Conselho de Administração da Metro Mondego.

No texto, sem referir o nome da jurista na empresa municipal Águas de Coimbra, Nuno Freitas diz que “o PSD afasta-se totalmente desta nomeação e repudia o oportunismo pessoal chocante de quem aceitou colaborar neste negócio político”.

Para o PSD, a anterior equipa, constituída por João Rebelo, Leonel Serra e Carlos Ferreira, foi responsável por “redefinir a estratégia global com a solução Metrobus, resolvendo todos os problemas técnicos, burocráticos e financeiros que permitiram relançar o projecto de forma sustentável e credível perante as instâncias nacionais e internacionais”.

Segundo o PSD de Coimbra, “os três trabalhos finais que estavam em curso “ficarão em risco com a equipa frágil e impreparada que agora assume funções”, liderada pelo engenheiro João Marrana, ex-administrador delegado dos Transportes Intermodais do Porto.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com