Coimbra  23 de Julho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Medronheiro vai ser testado em campo experimental na Pampilhosa da Serra

19 de Outubro 2023 Jornal Campeão: Medronheiro vai ser testado em campo experimental na Pampilhosa da Serra

No âmbito do projecto Carb2Soil, liderado pelo Instituto Politécnico de Coimbra, a Pampilhosa da Serra irá acolher o “campo experimental do medonho”, uma área de cultivo em que o objectivo passa por testar novos métodos de fertilização de solos ocupados pela espécie Medronheiro (Arbustus unedo), reforçando em simultâneo a sua capacidade de sequestro de carbono.

Numa área com cerca de um hectare, serão testados novos clones da planta, utilizando, como fertilizantes, resíduos com diferentes combinações e proveniências, como estações de tratamento de águas individuais, explorações pastorícias ou excedentes de destilaria.

De acordo com o António Ferreira, professor da Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC), a iniciativa, coordenada com a Comunidade Inter-Municipal da Região de Coimbra, tentará “encontrar novas soluções para mitigar e adaptar o sector agrícola às alterações climáticas”.

Associada a esta acção está também “A Lenda da Beira”, empresa de produção e comercialização de licores e aguardente, sediada em Pampilhosa da Serra, que cede terreno e partilha conhecimento de campo.

José Martins, fundador e director geral da empresa, considera ser “muito importante participar em projectos com entidades de investigação”. “Temos algum conhecimento de campo, mas estamos sempre prontos para melhorar e inovar os métodos de cultura”, esclarece.

António Ferreira considera que, caso a experiência prove que é possível incorporar mais matéria orgânica nos solos, melhorando a sua “saúde e qualidade”, a Pampilhosa da Serra passará a ter cada vez mais um papel de relevo no que diz respeito ao conhecimento associado à cultura da planta. Além disso, acabará também por contribuir para a diminuição da pegada de carbono da região.

O Carb2soil envolve mais de 20 parceiros, entre agricultores, associações sectoriais, instituições de ensino superior ou organizações políticas regionais como a CIM Região de Coimbra e a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro (DRAPC). A gestão administrativo-financeira está a cargo do Instituto de Investigação Aplicada (i2A), unidade orgânica de investigação.