Coimbra  23 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Médicos acusam tutela de negligenciar formação de jovens clínicos

9 de Maio 2018 Jornal Campeão: Médicos acusam tutela de negligenciar formação de jovens clínicos

O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) acusou, hoje, o Ministério da Saúde de negligenciar a formação na especialidade de jovens clínicos internos, pondo em causa a sua qualidade futura.

De acordo com Carlos Cortes, para além dos serviços de saúde se debaterem com falta de recursos humanos e de condições técnicas, o problema reside nos médicos mais experientes terem horários de trabalho reservados “exclusivamente” para funções assistenciais aos doentes e não para acompanhamento da formação dos jovens médicos especialistas.

“O país não pode perder qualidade nos seus profissionais de saúde. Daqui a 10, 15 ou 20 anos já ninguém se lembra da formação que tiveram, consequência desta política imediatista e da incompetência do Ministério da Saúde em alterar a situação”, frisou Carlos Cortes.

Explicou que a Ordem dos Médicos “analisa a capacidade dos serviços para formarem especialistas” e, a partir daí, o Ministério da Saúde abre vagas para as especialidades.

Em declarações à agência Lusa, à margem da Mostra de Especialidades Médicas – iniciativa do Conselho Nacional do Médico Interno em colaboração com os Conselhos Regionais Norte, Centro e Sul da Ordem dos Médicos que visa auxiliar os jovens médicos internos no processo de escolha de especialidade – Carlos Cortes disse que, em 2017, foram cerca de 2 200 os jovens médicos formados em instituições de ensino de medicina nacionais e estrangeiras (estas representaram um quarto do total) que concorreram às 1 765 vagas para especialidades médicas.

Na iniciativa, que começou hoje e que decorre até sexta-feira, as especialidades são apresentadas aos interessados “todas em pé de igualdade e por norma os jovens médicos escolhem aquelas que mais se adaptam a si”, argumentou.

“Se forem especialidades cirúrgicas, os próximos seis anos [de formação específica] serão de uma dedicação e entrega total”, exemplificou o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos.

A sessão de abertura da Mostra de Especialidades Médicas contou com a presença de 210 médicos, sendo que, ao longo da iniciativa, os médicos mais experientes “apresentam os programas, os aspectos práticos e respondem a dúvidas sobre cada uma das especialidades”, informa a SRCOM.