Coimbra  4 de Julho de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Médico subscritor de petição defende autonomia total para Hospital dos Covões

30 de Junho 2020 Jornal Campeão: Médico subscritor de petição defende autonomia total para Hospital dos Covões

O médico Carlos Costa Almeida defende que o Hospital Geral (Covões) de Coimbra deve voltar a ter autonomia própria e considerou que a fusão com os Hospitais da Universidade de Coimbra não deu resultado.

Em declarações à agência Lusa, o primeiro subscritor da petição “Devolver a autonomia ao Hospital dos Covões do Centro Hospitalar de Coimbra – Pelo direito ao acesso a cuidados de saúde de qualidade” disse que aquela unidade de saúde tem sido destruída “a pouco e pouco”.

“Após nove anos de fusão, as pessoas estão cansadas e têm vindo protestar para a rua porque a assistência médica não está em condições, com os doentes mal tratados e listas de espera intermináveis, não por culpa dos profissionais, mas da política de saúde seguida na região Centro”, frisou o signatário, depois de ter sido ouvido na manhã de hoje na Assembleia da República.

Segundo Carlos Costa Almeida, a região Centro deve ter dois hospitais centrais a funcionar em Coimbra, porque a sua população é superior a dois milhões de utentes e aquela cidade continua a ser a maior da região, com “a segunda maior Universidade do país” e uma Faculdade de Medicina muito grande”.

“Evidentemente que Coimbra é a cidade com melhores condições para ter dois hospitais centrais. Tem uma Faculdade de Medicina muito grande, várias escolas de saúde e enfermagem e institutos de investigação”, sublinhou.

Para o médico e professor universitário, a “única solução é terminar com a fusão, que não deu resultado, embora seja já um bocadinho tarde, mas mais vale tarde do que nunca”, pois continua a “haver necessidade de dois hospitais centrais”.

A petição que trata de “Devolver a autonomia ao Hospital dos Covões do Centro Hospitalar de Coimbra – Pelo direito ao acesso a cuidados de saúde de qualidade” deu entrada na Assembleia da República no dia 01 e é subscrita por 4.493 peticionários.

As audições no Parlamento iniciaram-se hoje, pelos peticionários, continuando nas próximas semanas com a Administração Regional de Saúde do Centro e o conselho de administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC).

Na segunda-feira, um grupo de deputados liderado pelo social-democrata Maló de Abreu, eleito por Coimbra e designado relator da petição, visitou o Hospital dos Covões, acompanhado pelo novo presidente do conselho de administração do CHUC, Carlos Santos.

No final da visita, o parlamentar do PSD salientou que “Coimbra, a região e o país têm no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) um grande centro de Medicina que não pode ser desmembrado”.

“Todas as partes têm de estar fortes e a trabalhar em escala. Os braços e as pernas deste corpo têm de estar a funcionar em pleno”, frisou o parlamentar, a propósito do CHUC, que agrega os Hospitais da Universidade de Coimbra, Hospital dos Covões e Hospital Pediátrico, além das maternidades Daniel de Matos e Bissaya Barreto, e do hospital Sobral Cid.