Coimbra  20 de Junho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Medicina: Norberto Canha condecorado pela Guiné-Bissau

25 de Janeiro 2019

Norberto Canha, conceituado ortopedista de Coimbra, vai ser distinguido com uma ordem honorífica da Guiné-Bissau, onde tem desenvolvido relevante trabalho médico e humanitário.

O anúncio da condecoração foi feito, ontem (24) à noite, pelo diplomata Helder Vaz Lopes, embaixador em Portugal daquele país africano, durante uma homenagem prestada ao ortopedista na Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM).

“Ele merece”, afirmou o diplomata, acrescentando que o gesto corresponde a um dever do Estado guineense.

Atento aos problemas dos pacientes que sofrem de filariose linfática (elefantíase), Norberto Canha foi elogiado por Helder Vaz Lopes, que o felicitou pela “marca de altruísmo”.

Dedicou-se a doenças esquecidas como só um homem com a generosidade de Norberto Canha pode dedicar-se, afirmou o embaixador da Guiné-Bissau em Lisboa. “Todos reconhecemos tratar-se de uma figura ímpar”, concluiu o diplomata.

Com a sala de visitas da SRCOM a «rebentar pelas costuras», o homenageado preconizou, ao seu estilo, que se repense o passado e se medite sobre o presente para perspectivar o futuro.

Norberto Canha, 89 anos de idade, é professor catedrático jubilado de Medicina e presidiu ao Conselho de Administração dos outrora Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC).

Carlos Cortes, presidente da SRCOM (anfitriã da homenagem), enalteceu “o carinho” que os discípulos de Norberto Canha (e não só) por ele nutrem.

“Em Medicina não bastam os conhecimentos técnicos, é preciso ter coração”, advertiu Carlos Cortes, em cujo ponto de vista o homenageado é “uma fonte de inspiração”.

Ao enaltecer a “dimensão humana” de Norberto Canha, o presidente do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), Fernando Regateiro, louvou-o pela capacidade de não se resignar.

Paulo Moura, subdirector da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, salientou a “marca humana” do homenageado enquanto ortopedista e expressou o desejo da sua Escola no sentido de “seguir o exemplo” do mestre.

Para Paulo Moura, à vocação de “homem de missões” reconhecida a Norberto Canha não é alheio o seu espírito de permanente inconformismo.

O catedrático jubilado reuniu uma equipa de profissionais de saúde, há um ano, para rumar à Guiné-Bissau a fim dele ali serem efectuadas 20 cirurgias e o êxito da missão culminou na realização de 47 intervenções.

Entusiasmado, Norberto Canha projectou, com a sua equipa, uma segunda ida, aprazada para o próximo mês.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com