Coimbra  26 de Junho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Medicamentos para carenciados: Programa vence Prémio António Sérgio

22 de Janeiro 2018

O programa de apoio ao acesso a medicamentos da associação Dignitude venceu o prémio António Sérgio, na categoria de Inovação e Sustentabilidade, e a presidente da Associação Leque arrecadou o de Personalidade do Ano.

Os prémios da Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES) foram hoje entregues numa cerimónia que decorreu na antiga igreja de São Francisco, em Coimbra, onde esteve presente o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva.

O programa Abem procura dar resposta aos problemas de acesso ao medicamento motivados por condições sócio-económicas, sendo promovido pela associação Dignitude, uma instituição sediada em Coimbra que nasceu de uma parceria entre a Cáritas Portuguesa e Plataforma Saúde em Diálogo com a Associação Nacional das Farmácias e a Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica.

Maria de Belém Roseira, que recebeu o prémio em representação da associação, sublinhou que, apesar do esforço do Estado com os medicamentos e de estes terem baixado de preço, continuam a representar “uma pressão e um peso”, num país com rendimentos médios baixos.

Em Portugal, “muitas pessoas têm capacidade para assegurar o essencial, mas não para despesas extraordinárias, como as despesas com medicamentos”, sublinhou a presidente do Conselho Geral da associação.

O programa foi criado a pensar nas dificuldades dessas pessoas, procurando apoiá-las na compra de medicamentos.

Maria de Belém Roseira sublinhou que o objectivo é atingir os 25 000 beneficiários do programa ainda este ano e 50 000 em 2019.

Na mesma categoria, a Cooperativa Eléctrica do Vale d’Este e a Associação Algarvia de Pais e Amigos de Crianças Diminuídas Mentais receberam menções honrosas.

O prémio de Personalidade do Ano da CASES foi para a presidente da Associação Leque, em Alfândega da Fé, Celmira Macedo.

Doutorada em Educação Especial pela Universidade de Salamanca, Celmira Macedo lançou em 2015 a EKUI, metodologia de alfabetização para pessoas com deficiência, utilizando quatro formas de comunicação: gráfica, língua gestual, braille e alfabeto fonético.

“Há hoje uma realidade que marcará o futuro da economia social: a capacidade de incorporar toda a riqueza da inovação que nós vivemos. Celmira Macedo é um exemplo vivo dessa capacidade de inovar, de criar coisas novas”, sublinhou o ministro Vieira da Silva, no discurso de encerramento da cerimónia, notando que o sector social tem tido “uma enorme abertura à inovação”.

Sérgio Manuel Pratas foi premiado na categoria Estudos e Investigação por um trabalho sobre o associativismo popular e, na secção de Trabalhos de Âmbito Escolar, venceram, em ‘ex aequo’ a Escola Frei Caetano Brandão, de Braga, e o Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio, de Esposende.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com