Coimbra  5 de Dezembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Mealhada prossegue com compromisso de combate às alterações climáticas

24 de Agosto 2020 Jornal Campeão: Mealhada prossegue com compromisso de combate às alterações climáticas

A proposta de Plano de Acção para as Energias Sustentáveis e Clima (PAESC-Mealhada), que compreende sete programas com 38 medidas para a mitigação e adaptação às alterações climáticas, com o horizonte em 2030, foi apresentada na última reunião de Executivo municipal e segue para aprovação da Assembleia Municipal.

A estratégia de adaptação às alterações climáticas do concelho de Mealhada vai ao encontro dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e da Agenda 2030, adoptados pela quase totalidade dos países do mundo, no contexto das Nações Unidas. Esta responde, primordialmente, aos ODS 13 – Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e os seus impactos, e a outros, tais como aos ODS 15 – Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e parar a perda de biodiversidade.

A estratégia de adaptação às alterações climáticas do concelho de Mealhada encontra-se ainda em linha com os planos intermunicipais e municipais desenvolvidos e em curso, nomeadamente com o Plano Director Municipal (PDM), o Plano de Acção para a Eficiência Energética, Planos de Emergência, Plano Municipal de Defesa da Floresta, Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas; Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes; e, Plano de Acção de Mobilidade Urbana Sustentável da Região Centro.

Considerando que a adesão ao “Pacto de Autarcas”, em 2018, resultou de um compromisso político, que envolveu todas as forças partidárias com assento na Assembleia Municipal de Mealhada, o documento será alvo de apresentação pública, discussão e deliberação na próxima sessão ordinária da Assembleia Municipal, para posteriormente ser submetido ao “Covenat of Mayors”.

Recorde-se que as metas estabelecidas no âmbito do “Pacto de Autarcas” visavam reduzir as emissões de CO2 (e eventualmente outros gases com efeito de estufa) no território em pelo menos 40 por cento, até 2030, designadamente mediante um reforço da eficiência energética e de um maior recurso às fontes de energia renováveis, bem como a aumentar a sua resiliência, adaptando-se aos impactos das alterações climáticas.

“A mitigação das alterações climáticas assume-se como um projecto colectivo, liderado pela Câmara Municipal de Mealhada, mas com um forte envolvimento da comunidade (cidadãos, escolas, associações, empresas, etc.)” disse a autarquia.