Coimbra  24 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Mealhada: Diferendo cancela Rampa Histórica do Luso

2 de Abril 2019

Responsáveis do Clube LusoClássicos confirmaram, hoje, o cancelamento da tradicional Rampa do Luso, mas manifestaram disponibilidade para continuar a dialogar com a Câmara da Mealhada, apesar de terem sido acusados pela autarquia de “deslealdade e má-fé”.

“O apoio da Câmara é essencial nas nossas iniciativas, que trazem visitantes, mexem com a economia local e projectam o concelho. Há aqui um mal-entendido sobre o cancelamento da Rampa do Luso que é preciso ultrapassar”, disse à agência Lusa Hugo Oliveira, dirigente do clube.

Em causa está o subsídio de 15 000 euros dado anualmente pela autarquia liderada por Rui Marqueiro para a realização de duas provas de automóveis no Luso: a Rampa Histórica Luso-Bussaco e o Rally Legends Portugal – Luso Bussaco. Dez mil euros são destinados à Rampa e o restante ao rally.

O clube tem-se queixado de que o subsídio não acompanhou o crescimento das provas. “Só no Legends do ano passado tivemos 110 inscrições, o que nos obrigou a deixar pilotos de fora”, relata Oliveira.

O número de participantes nas duas provas triplicou nos últimos anos, trazendo novos problemas logísticos e de segurança. As provas têm patrocinadores privados, mas o dinheiro é curto, o que forçou os organizadores a pagarem do próprio bolso algumas despesas, relata Diogo Ribeiro, outro dirigente.

Este ano, após saber que o subsídio se mantinha para as duas provas, o clube escreveu à Câmara a anunciar o cancelamento da Rampa e pedindo que a totalidade do subsídio fosse aplicada no rally. A decisão foi entretanto divulgada em comunicado, o que desagradou à autarquia, que pretendia discutir o assunto na última reunião de Março do executivo municipal, que acabou por ser adiada para 08 de Abril.

“A Câmara Municipal da Mealhada foi apanhada de surpresa, uma vez que ainda não tinha sido esgotado o prazo estipulado pelos dirigentes do Clube LusoClássicos para o Município tomar uma posição, nomeadamente decidir se iria ou não aumentar o subsídio da autarquia de forma a viabilizar a Rampa Histórica”, queixa-se a autarquia presidida por Rui Marqueiro, em comunicado divulgado ao princípio da noite de segunda-feira.

Para o Município, “a LusoClássicos, por razões que a razão desconhece, desrespeitou a sua própria palavra e deu uma machadada numa prova desportiva sem esperar por uma decisão da autarquia”.

O tom do comunicado é duro, com a autarquia a lamentar “a postura desleal e intelectualmente desonesta” dos dirigentes do clube, acusados de faltar à palavra dada. “Dar um prazo até 31 de Março para a Câmara se pronunciar e desrespeitar o prazo dado é o quê? Não será má-fé?”, questiona a autarquia.

Os dirigentes do clube não gostaram do tom do comunicado, mas estão disponíveis para continuar a dialogar, até porque consideram que tudo não passa de um mal-entendido.

“A Câmara sabia que a Rampa estava cancelada e conhece bem as razões. O nosso pedido, ao qual aguardamos resposta, é que a totalidade do subsídio seja encaminhada para a realização do rally. O apoio da autarquia é indispensável para o sucesso da prova”, reforçam os dirigentes do clube.

O Rally Legends Portugal – Luso Bussaco, que atrai velhas glórias do automobilismo nacionais e estrangeiras, realiza-se este ano em 13, 14 e 15 de Setembro, três meses mais tarde do que a data tradicional.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com