Coimbra  19 de Maio de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

MAS defende em Coimbra fim de propinas e habitação jovem acessível

20 de Janeiro 2022 Jornal Campeão: MAS defende em Coimbra fim de propinas e habitação jovem acessível

A porta-voz do Movimento Alternativa Socialista (MAS) Renata Cambra defendeu, hoje, em Coimbra, o fim do pagamento das propinas no ensino superior e mais habitação jovem a preços acessíveis.

“A existência de propinas contribui para divisão social e segregação e não dá oportunidades aos sectores mais desprotegidos de terem melhores perspetivas de futuro”, disse a candidata aos jornalistas, numa acção de campanha ao fundo das escadas monumentais da Universidade de Coimbra.

A porta-voz do MAS, que concorre por Lisboa, considerou “alarmante” que, no ano lectivo 2020/2021, 71% dos pedidos de bolsa tenham sido recusados.

“Sabemos que com a pandemia houve uma grande quebra no rendimento das famílias e, inclusivamente, em Portugal, as famílias têm uma carga com os estudos na casa dos 30%, quando a média europeia está na ordem dos 10%”, vincou.

Salientando que é importante acabar com as propinas para os sectores desprotegidos, Renata Cambra lamenta que muitos estudantes não tentem entrar no ensino superior “porque sabem que vão ter de desistir”.

A proposta do MAS passa por acabar imediatamente com as propinas, mas admite que, não sendo possível ao nível orçamental, se deve “no mínimo, suspender o pagamento para os estudantes bolseiros”.

Segundo a candidata, actualmente as bolsas servem “basicamente” para os estudantes pagarem a propina e “depois ficam sem dinheiro para a habitação, comida e livros”.

Nesta acção de campanha, Renata Cambra defendeu também o reforço do número de quartos nas residências estudantis e mais habitação jovem, com preços acessíveis.

“Hoje em dia, com a especulação imobiliária que existe e os vistos gold a aumentarem fortemente a especulação imobiliária, é necessário haver um contrapeso por parte do Estado para criar habitação acessível, o que permite também baixar o preço das rendas em geral”, sublinhou.