Coimbra  28 de Julho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Maria Albertina Ferreira (PSD) quer dar nova vida a Vila Nova de Poiares

16 de Julho 2021 Jornal Campeão: Maria Albertina Ferreira (PSD) quer dar nova vida a Vila Nova de Poiares

A cabeça de lista do PSD à Câmara de Vila Nova de Poiares nas próximas eleições autárquicas, Maria Albertina Ferreira, diz querer que o concelho “tenha uma vida nova para viver, investir e visitar”.

“Quero que Vila Nova de Poiares tenha uma vida nova para viver, investir e visitar. O nosso concelho ficou parado no tempo, daí querer dar nova vida”, afirmou à agência Lusa a candidata.

Com 64 anos, Maria Albertina Ferreira é autarca há 24 anos em Lisboa, tendo sido presidente da Junta de Freguesia da Ameixoeira, integrando agora a Junta de Freguesia de Santa Clara, após a unificação da Ameixoeira com Charneca.

Militante do PSD, a cabeça de lista reside agora em Vila Nova de Poiares, de onde é natural. Maria Albertina Ferreira adiantou que aceitou o desafio para liderar a lista social-democrata por considerar que “no Interior há muita coisa ainda para ser feita”.

“Estamos um bocado esquecidos, porque Portugal é Porto, Lisboa e Coimbra”, declarou, elegendo como uma das missões a concretização das acessibilidades.

Segundo a candidata, este município do distrito de Coimbra “tem traçados rodoviários há muito tempo de que o actual Executivo tanto fala, mas não deu seguimento aos mesmos”.

A este propósito destacou que “a zona industrial deveria ter ligação ao IP [Itinerário Principal] 3”, observando que esta “não sai do papel e só é falada em época de eleições”.

“Esse traçado é fundamental para o desenvolvimento do concelho e estratégico para a zona industrial, sobretudo para o escoamento dos nossos produtos, e para a fácil deslocação da população que só tem a Estrada Nacional de 17 de acesso a Coimbra”, prosseguiu Maria Albertina Ferreira.

Considerando que Vila Nova de Poiares “estagnou em relação aos concelhos vizinhos”, a social-democrata notou que “as empresas que o concelho tinha há oito anos, quando entrou este Executivo, são as mesmas de hoje”.

“Quero uma indústria mais forte para a criação de emprego, para a fixação de mais famílias. É assim que se projecta o desenvolvimento”, disse, salientando ainda a necessidade de melhorar a qualidade de vida da população.

Para Maria Albertina Ferreira, é importante “desenvolver as capacidades na indústria tecnológica”, referindo que existe uma “camada jovem bem formada que tem de sair do concelho para progredir na carreira quando neste se poderiam proporcionar outras valências”.

A proteção do património cultural e gastronómico, que “está a cair no esquecimento e é a identidade do concelho”, é outra das apostas da candidatura, assim como o turismo, para atrair mais visitantes.

Maria Albertina Ferreira defendeu, também, a necessidade de “colocar as pessoas mais ao lado dos eleitos”.

Sobre o seu percurso como autarca, a cabeça de lista, que está a terminar a licenciatura em Gestão Autárquica, considera que “é uma mais-valia”. “Não vou às escuras para este lugar”, afirmou, assinalando que a sua “experiência autárquica é a de uma Junta de Freguesia maior que a vila”.

Nas últimas eleições autárquicas, em 2017, o PS assegurou quatro mandatos, enquanto o PSD um. Os socialistas recandidatam o actual presidente da Câmara, João Miguel Henriques, enquanto a lista da CDU é liderada pelo professor Diogo Cardoso. As eleições autárquicas estão marcadas para 26 de Setembro.