Coimbra  26 de Junho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Lousã: Prémio literário visa a descoberta de novos autores

17 de Setembro 2018

A Arte-Via Cooperativa e o consórcio do Festival Literário Internacional do Interior – Palavras de Fogo apresentaram, hoje, a criação de um prémio literário nacional para a descoberta de novos escritores, com idade até 35 anos.

A iniciativa é suportada pela Direcção Regional de Cultura do Centro, que atribui um prémio de 7 500 euros à obra premiada, no seguimento de uma sugestão do Presidente da República, quando da primeira edição do festival Palavras de Fogo, em homenagem às vítimas dos incêndios florestais de 2017.

O anúncio foi feito na manhã de hoje, na Lousã, em conferência de Imprensa, pela directora regional de Cultura do Centro (DRCC), Celeste Amaro, que deu conta da “satisfação” do ministro da tutel pela criação do prémio.

“Esta iniciativa tem muito potencial e talvez dê o exemplo a outras autarquias e associações para fazerem o mesmo, porque realmente concelhos tão pequenos como estes que existem no interior e com tantas dificuldades, dificilmente conseguiriam colocar de pé um evento destes”, disse, por seu lado, Ana Filomena Amaral, presidente da Arte-Via Cooperativa, sediada na Lousã.

O concurso literário vai distinguir um texto original no domínio da ficção, romance ou novela, escrito em língua portuguesa, por autor de nacionalidade portuguesa, com idade não superior a 35 anos, com a atribuição de um prémio de 7 500 euros, que inclui a edição da obra.

Os originais devem ter pelo menos 150 000 caracteres com espaços, apresentados em formato A4, em letra que permita fácil leitura, acompanhados de uma gravação em suporte digital, e ser entregues até 15 de Março, à Arte-Via Cooperativa.

A atribuição do prémio vai decorrer entre 14 a 17 de Junho de 2019, durante a II edição do Festival Palavras de Fogo, depois da análise de um júri seleccionado pela DRCC e a Arte-Via Cooperativa, que poderão decidir pela sua não atribuição, caso os trabalhos não reúnam a qualidade exigida.

“Pensámos que seria importante incentivar os jovens portugueses a escrever e, quem sabe, no futuro estender o prémio ao mundo da lusofonia, que será uma forma de alargar a sua abrangência e torná-lo mais importante, porque a língua portuguesa é a nossa pátria”, salientou Ana Filomena Amaral.

A presidente da Arte-Via adiantou, ainda, que estão a ser efectuadas diligências para tentar projectar o festival Palavras de Fogo para outros continentes, nomeadamente para o asiático, “e a envidar todos os esforços para trazer pessoas de Macau, China, Tailândia, para a próxima edição”. “É muito importante, porque nascemos e precisamos de crescer”, sublinhou.

Ainda no âmbito da segunda edição do festival, Ana Filomena Amaral deixou o repto para os artistas plásticos criarem instalações, ou obras de arte apenas com árvores ardidas dos incêndios de 2017.

O consórcio do Festival Literário Internacional do Interior – Palavras de Fogo é constituído pelos municípios de Sertã (Castelo Branco), Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera, Ansião e Alvaiázere (Leiria), Penela, Tábua e Arganil (Coimbra).

O regulamento vai estar disponível nas páginas de Internet da Arte Via, Direcção Regional de Cultura do Centro e Presidência da República.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com