Coimbra  20 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Lousã defende financiamento de todas as candidaturas aprovadas pelo +CO3SO Emprego

14 de Junho 2021 Jornal Campeão: Lousã defende financiamento de todas as candidaturas aprovadas pelo +CO3SO Emprego

O presidente da Câmara da Lousã, Luís Antunes, defendeu, hoje (14), junto do Governo, a necessidade de todas as candidaturas aprovadas na medida +CO3SO Emprego serem financiadas.

Para além disto, o autarca defendeu que o programa deve ser novamente reforçado para apoiar as restantes candidaturas avaliadas com mérito.

“Esta medida seria sempre relevante e, atendendo à pandemia e aos desafios criados, torna-se ainda mais significativa para estimular a recuperação económica, pelo que vimos apelar – mais uma vez – no sentido de ser encontrada uma solução que permita corresponder adequadamente ao interesse e dinâmica evidenciados pelo tecido económico da região”, refere Luís Antunes.

Numa tomada de posição enviada à ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, e à presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, Isabel Damasceno, o autarca salienta que esta diligência segue na linha de outras já efectuadas como presidente da direcção da Dueceira.

Luís Antunes frisa que, em Assembleia Geral, a Dueceira – Associação de Desenvolvimento entre o Ceira e Dueça, que abrange os municípios de Lousã, Vila Nova de Poiares, Miranda do Corvo e Penela, foi tomada uma posição a denunciar que o não reforço da verba põe em causa 57 postos de trabalho na sua área de intervenção, “número muito relevante para a sustentabilidade do território”.

A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, disse na semana passada, no concelho de Soure, que o programa +CO3SO Emprego, destinado ao apoio à contratação e liquidez, não vai poder responder a todas as candidaturas apresentadas e que apenas serão financiadas as “boas”.

Em declarações aos jornalistas, a governante salientou que a ideia da medida “era investir 90 milhões e criar 1 600 postos de trabalho”.

“Nós recebemos uma procura de quase 600 milhões de euros e, portanto, não há medidas universais”, frisou Ana Abrunhosa, questionada sobre as críticas do Conselho Empresarial da Região Centro (CERC) à medida lançada em 2020.

O CERC, consórcio constituído pelas 13 associações empresariais da região de Coimbra, denunciou que mais de 50% dos 70% de candidaturas aprovadas pelos grupos de acção local continuam ainda a aguardar os termos de aprovação.

A governante disse que serão aprovadas as melhores candidaturas e que a autoridade de gestão do Centro 2020 “continuará a fazer um esforço de reforçar verbas para as boas candidaturas”.

“Não podemos apoiar todas as candidaturas, até porque a quantidade nem sempre significa qualidade”, sustentou Ana Abrunhosa, lembrando que a medida +CO3SO Emprego foi reforçada para 250 milhões de euros.

Fora de hipótese está um novo reforço da medida no programa Portugal 2020, embora a ministra admita que possa haver uma nova abertura de aviso de concurso no próximo quadro de apoio comunitário.