Coimbra  24 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Lousã ajusta Feira do Mel à quebra acentuada da produção

6 de Outubro 2020 Jornal Campeão: Lousã ajusta Feira do Mel à quebra acentuada da produção

A produção de mel DOP Serra da Lousã teve este ano quebras de 90 por cento, o que obriga à realização da habitual feira do sector em formato “mais reduzido”, nos dias 14 e 15 de Novembro.

“Não me lembro de um ano assim tão mau”, disse à agência Lusa o presidente da Cooperativa Lousãmel, António Carvalho.

A Câmara Municipal organiza a feira anual em parceria com a cooperativa de apicultores que gere, em nome do Estado, a Denominação de Origem Protegida (DOP) Serra da Lousã.

Uma fonte da autarquia disse à Lusa que, “devido à situação de pandemia e também à redução da produção de mel”, está a ser preparado um evento com “menor dimensão do que é habitual”.

A programação da 31.ª edição da Feira do Mel e da Castanha da Lousã “será brevemente apresentada”, adiantou a fonte do gabinete do presidente da Câmara, Luís Antunes.

António Carvalho disse que a Lousãmel – Cooperativa Agrícola dos Apicultores da Lousã e Concelhos Limítrofes sugeriu à autarquia a realização de uma Feira do Mel ajustada à escassa produção de mel DOP deste ano, tendo defendido que não deveria ser “nos moldes em que tem sido feita”.

“Temos um problema: foi uma razia terrível e não há mel”, sublinhou o dirigente, para admitir que a iniciativa, que atrai habitualmente milhares de visitantes à Lousã, possa ser concretizada “com mel do ano passado”.

Na sua opinião, “os apicultores estão desmotivados” e, se não forem ajudados, “muitos acabarão por desistir” da actividade.

As alterações climáticas, os incêndios, o avanço de espécies florestais invasoras como a mimosa e a proliferação da vespa asiática, um insecto exótico e predador que destrói os apiários, são algumas das causas da acentuada baixa da produção de mel dos últimos anos, segundo António Carvalho.

No caso do mel DOP Serra da Lousã, tem-se verificado uma redução drástica das áreas de urzes diversas, cujas flores estão na base das características específicas deste produto natural certificado.

Com sede na Lousã, a Lousãmel reúne 470 produtores e tem vindo a alargar a sua intervenção a outras zonas do país e a apostar no reforço do universo de associados.

A região demarcada abrange 10 municípios: Arganil, Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Góis, Lousã, Miranda do Corvo, Pampilhosa da Serra, Pedrógão Grande, Penela e Vila Nova de Poiares, nos distritos de Coimbra e Leiria.