Coimbra  27 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Lídia Pereira eleita coordenadora do Grupo PPE para os assuntos fiscais

9 de Setembro 2020 Jornal Campeão: Lídia Pereira eleita coordenadora do Grupo PPE para os assuntos fiscais

A eurodeputada conimbricense Lídia Pereira foi eleita, esta quarta-feira (09), por unanimidade, coordenadora do Grupo Partido Popular Europeu (PPE) na nova subcomissão permanente do Parlamento Europeu para os Assuntos Fiscais.

A escolha foi realizada pelo PPE, o maior grupo político no Parlamento Europeu, e dedica-se ao combate à fraude, branqueamento de capitais, evasão e elisão fiscais.

Lídia Pereira, que em Dezembro passado viu ser aprovado pelo Parlamento Europeu um pacote legislativo da sua autoria, dedicado a modernizar e agilizar os procedimentos de combate à fuga ao fisco no comércio electrónico, recorda que “a fiscalidade tem de evoluir a par da digitalização” e que “é necessário melhorar e desenvolver mecanismos para tornar o combate a criminalidade financeira mais eficiente”.

Já em Julho deste ano a Comissão Europeia alertava que, de acordo com as estimativas mais recentes, a União Europeia perde, por ano, cerca de 150 000 milhões de euros em fuga aos impostos. Segundo um relatório recentemente divulgado pelo Executivo europeu, desde 2001, Portugal já terá visto serem desviados mais de 50 000 milhões de euros para paraísos fiscais.

A recém-eleita coordenado do Grupo PPE na subcomissão dos assuntos fiscais salienta que “num momento em que assistimos a uma queda do PIB sem precedentes, por causa da covid-19, não é aceitável que Portugal esteja entre os três países da União Europeia que mais riqueza transferiu para paraísos fiscais” e lembra que “menos receita fiscal significa mais impostos para o cidadão e piores serviços públicos”.

Para Lídia Pereira, a criação desta subcomissão permanente “é fundamental para dar resposta a escândalos como o Luanda Leaks, que estava na ordem do dia antes da pandemia ter começado, mas, também, para retomar assuntos como os LuxLeaks, os Panama Papers ou os Football Leaks, que expuseram publicamente desvios de milhares de milhões de euros em operações offshore”.

A subcomissão parlamentar para os Assuntos Fiscais é composta por 30 membros: oito do PPE; seis Socialistas; quatro Liberais; três Nacionalistas; três do Grupo Europeu dos Verdes; três Conservadores; dois da Esquerda Unida; e um não inscrito.