Coimbra  16 de Junho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Líder da Federação de Coimbra da JS eleito Secretário Nacional para a Organização

10 de Janeiro 2021 Jornal Campeão: Líder da Federação de Coimbra da JS eleito Secretário Nacional para a Organização

A primeira Comissão Nacional do mandato 2020/2022 da Juventude Socialista, realizada em formato digital, elegeu o Secretariado Nacional e os representantes da JS à Comissão Política Nacional do Partido Socialista.

Sob proposta do Secretário-Geral da Juventude Socialista – e actualmente deputado mais jovem da Assembleia da República -, Miguel Costa Matos, foram eleitos todos os principais órgãos nacionais da Juventude Socialista.

José Dias, presidente da Federação Distrital de Coimbra da Juventude Socialista e deputado municipal de Coimbra, foi eleito para o Secretariado Nacional, tendo sido indicado por Miguel Costa Matos enquanto Secretário Nacional para a Organização, responsável pela gestão e ligação entre a estrutura nacional e as estruturas locais e regionais da Juventude Socialista.

“Aproximar as estruturas locais e regionais da estrutura nacional com mais eventos descentralizados pelos diferentes territórios, participar em iniciativas cívicas e sociais, implementar ferramentas tecnológicas para o funcionamento diário da organização, eliminar a utilização de materiais descartáveis de utilização única como o plástico em toda a atividade política. É com esta visão de proximidade, alicerçada numa visão verde e digital, que queremos renovar a JS e responder aos problemas das portuguesas e dos portugueses” – declara José Dias.

Foram ainda escolhidos os sete representantes da JS à Comissão Política Nacional do Partido Socialista, principal órgão deliberativo do PS responsável por aplicar e velar pela execução das deliberações da Comissão Nacional do PS. José Dias foi igualmente eleito para esse mesmo órgão.

Na reunião da Comissão Nacional foi ainda aprovada uma posição política sobre as eleições presidenciais, apoiando as candidatas e os candidatos presidenciais que defendem a Constituição da República Portuguesa, aproximem a política dos cidadãos e implementem uma agenda de emergência climática, entre outros pontos.