Coimbra  27 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Juiz lousanense José Avelino Gonçalves apresenta livro no Hotel Palácio da Lousã

1 de Outubro 2020 Jornal Campeão: Juiz lousanense José Avelino Gonçalves apresenta livro no Hotel Palácio da Lousã

No próximo sábado (03), terá lugar no Hotel Palácio da Lousã, a apresentação da obra “Estórias de um Arquivo Judicial – A Grande Devassa – 18220/1920”, da autoria do Juiz Lousanense José Avelino Gonçalves.

Esta obra é o resultado de um trabalho de investigação levada a cabo nos arquivos judiciais dos tribunais da Cova da Beira, consultando processos judiciais que retratam uma justiça dura e crua em época de convulsões políticas e sociais, período conturbado que se seguiu às Invasões Francesas, às Lutas Liberais, à Implantação da República e à Grande Guerra.

São 30 pequenas histórias demonstrativas de uma determinada realidade económica e das convulsões do interior de um país quase esquecido e longe da centralidade dos grandes centros urbanos do litoral. É uma obra que retrata as gentes da Beira, do Açor, da Lousã, da Estrela e da Raia.

O autor José Avelino Gonçalves, lousanense, nasceu em Vilarinho em 1965. Licenciado em Direito em Coimbra, iniciou o seu estágio em 1991. Fez o habitual percurso de um juiz percorrendo as mais diferentes comarcas do país, sendo colocado em 2012 no Tribunal da Relação de Coimbra, como Juiz Desembargador. É nomeado para a Comarca de Castelo Branco em 2014, sendo, presentemente, Juiz Desembargador Presidente do Tribunal da Comarca de Castelo Branco.

De referir que no âmbito desta apresentação, será, também, inaugurada, na Biblioteca Municipal Comendador Montenegro, uma exposição alusiva a esta obra, onde constam vários documentos extraídos dos processos judiciais referidos na obra.

Esta obra é editada pela Cooperativa Trevim, com o apoio à edição de algumas empresas lousanenses, nomeadamente a EFAPEL, Licor Beirão e Prado – Cartolinas da Lousã. A ilustração é de Cláudia Gonçalves, e o grafismo da obra e da exposição é da Câmara Municipal de Proença a Nova.

Atendendo à situação de pandemia, a cerimónia será reservada.