Coimbra  24 de Julho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CMC: José Manuel Silva apresenta candidatura independente e “inclusiva”

9 de Março 2017 Jornal Campeão: CMC: José Manuel Silva apresenta candidatura independente e “inclusiva”

José Manuel Silva, ex-bastonário da Ordem dos Médicos, apresentou, hoje, em Coimbra, a sua candidatura à presidência da Câmara Municipal com o movimento “Somos Coimbra”.

O pretendente ao lugar de Manuel Machado diz que esta se trata de uma “candidatura independente, inclusiva, construtiva e transversal, que conta com todas as pessoas e instituições do concelho”.

A motivação é apenas uma: “servir o interesse público, Coimbra e o país”, porque, entende José Manuel Silva, “sente-se no concelho, em cada uma das suas 18 freguesias e em cada um dos seus quase 150 000 habitantes, a vontade e necessidade de mudança e desenvolvimento”.

No seu discurso, o médico fez referência ao enorme potencial da cidade nas suas mais diversas áreas distintivas, desde a educação; saúde; serviços qualificados; no património; turismo; a investigção; a inovação; criatividade e cultura.

“Queremos, sobretudo, colocar Coimbra no mapa, conquistando o respeito e o lugar no país e no mundo que [ela] tem capacidade para alcançar. Queremos Coimbra como uma cidade de integração; universitária; cidade de património mundial; da ciência; dos estudantes e da irreverência; da inovação; da saúde; das oportunidades para os jovens; do envelhecimento activo; do urbanismo; da oferta cultural rica e diversificada; cidade dos congressos; da solidariedade; da inclusão e cosmopolita”, referiu.

Além disso, o candidato pretende colocar a cidade no mapa dos investimentos, aproveitando as oportunidades para competir com outros locais do país e atrair investidores, de forma a “fomentar o estabelecimento de empresas e criação de postos de trabalho”.

“Queremos ouvir os munícipes, em particular destinando uma verba para o orçamento participativo, que vá ao encontro dos desejos e necessidades das pessoas. Seremos pró-activos na definição das políticas públicas municipais para as quais os cidadãos vão ser ouvidos”, explicou o líder do movimento.

Sem “financiamento nem quaisquer condicionamentos”, o movimento vai abrir uma acção de “crowdfunding” para “fazer face às despesas mínimas e obrigatórias para a candidatura ao processo eleitoral”, sendo que o valor excedente será distribuído pelas instituições de solidariedade social da cidade, com as contas finais a serem apresentadas publicamente.

Apesar de dizer que não tem adversários, José Manuel Silva critica a “inacção nas últimas décadas, que levou a múltiplos e complexos problemas, que estão devidamente identificados”, quer por quem cá vive, quer por quem saiu por falta de oportunidades e perspectivas.

O candidato terminou a sua apresentação, no café de Santa Cruz, perante reduzido público,  dizendo que a sua “motivação intrínseca é o amor por Coimbra, que merece muito mais e muito melhor”.

José Manuel Silva teve ao seu lado Fernando Seabra Santos (ex-reitor), Anabela Pereira (da UC), Carlos Fiolhais (professor universitário), Zulmira Gonçalves (ex-directora de Serviços dos Bens Culturais da Direcção Regional da Cultura do Centro) e Gonçalo Quadros (presidente da Critical Software).