Coimbra  17 de Julho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

José Cunha Vaz recebe medalha de ouro de Sociedade Espanhola da Retina

2 de Março 2018

O oftalmologista e investigador José Cunha Vaz vai ser distinguido, amanhã (03), com a medalha de ouro da Sociedade Espanhola da Retina e Vítreo, na cidade de Santander (Espanha).

O também presidente da ABILI – Associação para Investigação Biomédica e Inovação em Luz e Imagem irá, assim, receber “a distinção de maior relevância na área das doenças da retina e vítreo outorgado por Espanha”, que será entregue no âmbito do XXII Congresso dessa Sociedade espanhola.

A informação foi divulgada pela ABILI, que dá importância a esta medalha por ser um “reconhecimento da carreira científica e da actividade de investigação clínica de José Cunha Vaz, patente nas suas inovadoras contribuições, que ao longo dos anos muito têm contribuído para o conhecimento e tratamento das doenças da retina, e mais particularmente da retinopatia diabética, uma das principais causas de cegueira tal como a degenerescência macular relacionada com a idade”.

O reputado especialista, que é reconhecido a nível mundial na área de investigação e tratamento de doenças da retina, afirma ser “com grande satisfação e honra” que recebe esta medalha. “É o reconhecimento do valor do trabalho que venho desenvolvendo ao longo da minha carreira, e dos inúmeros contributos para a inovação no campo da ciência e da medicina da retina que com ele alcancei, e testemunha além do mais a qualidade da investigação científica que se faz em Portugal”, realça.

O também docente da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) irá, durante este congresso, proferir a palestra “Different Phenotypes of Diabetic Retinopathy”, que é um dos temas mais recentes na sua investigação e que “permitiu demonstrar que em doentes com diabetes, há aqueles que evoluem rapidamente para a perda de visão, enquanto outros se mantém com boa visão e sem agravamento durante muitos anos de vida”.

Segundo a ABILI, “abrem-se, assim, as portas para uma medicina individualizada havendo necessidade de identificar o mais precocemente possível aqueles doentes diabéticos que estão em risco”.

José Cunha Vaz tem como grandes feitos da sua carreira, ter caracterizado, pela primeira vez, a ‘Barreira Hemato-Retiniana’ e ter descrito a existência de junções interendoteliais nos vasos da retina. Além disso, o oftalmologista veio a desenvolver o ‘Retmarker’, método de caracterização da progressão da retinopatia diabética e o ‘OCT-Leakage’, novo método de identificação precoce do edema da retina.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com