Coimbra  15 de Outubro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Jogos Universitários: PSD acusa CMC de lançar “areia para os olhos”

2 de Fevereiro 2018

O vereador Paulo Leitão (PSD) disse, hoje, ao “Campeão”, que a Câmara de Coimbra lança «areia para os olhos» dos munícipes a propósito da realização da quarta edição dos Jogos Europeus Universitários.

“É com enorme preocupação que assistimos a mais uma nota pública de uma postura imobilista do executivo camarário do PS, hábil na criação de falsas notícias, visto que pouco ou nada investiu na realização do evento em Coimbra”, declarou o autarca ao comentar uma notícia, divulgada pelo Record, cujo alcance foi reproduzido pelo nosso Jornal.

Para o anterior líder concelhio do PSD/Coimbra, a CMC não aprovou três milhões de euros para os EUG (segundo sigla no idioma inglês), imputou, antes, aos Jogos os custos com infra-estruturas para a cidade, as quais já se encontravam construídas ou em construção, independentemente do sucesso da candidatura à organização do evento.

Neste contexto, os vereadores do Município de Coimbra eleitos pelo PSD prometem solicitar a Manuel Machado “os devidos esclarecimentos”.

“A Câmara Municipal deverá ter uma postura pró-activa e não criar entraves”, alega Paulo Leitão.

Outrora autarca com o pelouro do urbanismo, o vereador disse ao “Campeão” que a CMC imputou aos EUG 1,55 milhões de euros inerentes ao parque de estacionamento do convento de S. Francisco e perto de um milhão atinente à avenida de João das Regras, a estacionamento na praça das Cortes e à rotunda da Guarda Inglesa.

Segundo o edil, as “obrigações directas” da Câmara em relação aos EUG cifram-se em 375 000 euros.

A Federação Académica do Desporto Universitário acusa a Câmara Municipal de Coimbra de incumprimento para realização, este ano, da quarta edição dos Jogos Europeus Universitários.

Em declarações ao diário desportivo Record, o presidente da FADU, Daniel Monteiro, queixou-se de falta de assinatura de um contrato a outorgar pelo seu organismo, CMC, Universidade de Coimbra (UC), Associação Académica (AAC) e Associação Europeia do Desporto Universitário (EUSA, segundo sigla no idioma inglês).

De acordo com o Jornal, o documento ainda não foi rubricado devido a sucessivos adiamentos por parte da principal autarquia conimbricense.

“O contrato já devia ter sido assinado há dois anos”, adverte Daniel Monteiro, assinalando, porém, que a competição não está em risco.

A autarquia formalizou, em 2014, a sua pretensão de acolher os EUG/2018, tendo sido posteriormente oficializada a candidatura. De seguida, foi assinado um acordo de colaboração entre os parceiros, que define como responsabilidades da CMC: disponibilizar espaços físicos e recintos desportivos, assegurar transporte de atletas e garantir segurança nos locais de competição e treino.

Para a realização dos EUG/2018 foi indispensável proceder a uma série de intervenções em diversos espaços, de forma a garantir melhores acessibilidades na área geográfica do Estádio Universitário de Coimbra e recintos de prática desportiva em condições para acolher competições de várias modalidades, indicou, no final de 2017, a Assessoria de Imprensa da CMC.

 

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com