Coimbra  15 de Julho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Jardim ‘Laudato Si’ valoriza a natureza em Buarcos

21 de Março 2024 Jornal Campeão: Jardim ‘Laudato Si’ valoriza a natureza em Buarcos

O espaço ‘Laudato Si’ (Louvado Sejas), um jardim que sensibilizara para a preservação da natureza e do meio ambiente, foi inaugurado, esta quinta-feira, junto à Capela de Nossa Senhora da Encarnação, em Buarcos, Figueira da Foz.

Conforme refere o juiz José Santos Cabral, presidente da Comissão Diocesana Justiça e Paz de Coimbra, a iniciativa de criação de um espaço ‘Laudato Si’ nasceu da interpelação feita pelo estado em que se encontra o planeta Terra, que é a nossa Casa Comum. “Face às profundas alterações climáticas, agora evidentes, todos nós somos chamados a tomar consciência da gravidade da crise cultural e ecológica que vivemos e da necessidade de uma nova mentalidade e de novos hábitos. Encontramo-nos, por isso, perante um desafio educativo de gerações e de povos”, refere.

Para José Santos Cabral. “reclama o nosso cuidado o clamor que nasce de uma Terra ferida e de conduzindo-nos para um ponto de não retorno na sobrevivência de grande parte da Humanidade, caso não sejam atendidos. Ao clamor da Terra junta-se o clamor dos Pobres atingidos pela injusta distribuição de recursos”.

“A educação para a responsabilidade ambiental pode incentivar vários comportamentos que têm uma incidência direta e importante sobre o cuidado do ambiente. Tudo faz parte de uma criatividade generosa, que torna patente o melhor do ser humano. Os âmbitos educativos são vários, competindo às instituições politicas às diversas associações bem como à sociedade civil fazer um esforço de formação das consciências”, acrescenta.

É nessa sequência que surgiu a ideia da criação do espaço/jardim ‘Laudato Si’, convocando as entidades mais representativas da comunidade – Câmara Municipal da Figueira da Foz, Junta de Freguesia de Buarcos e Paróquia de Buarcos, mobilizando, também, a Comissão Diocesana Justiça e Paz -, por forma a permitir deixar uma marca perene do cuidado que merece a Terra que habitamos.

“A existência de um espaço vivo que represente o cuidado que nos merece a Natureza assume outro significado quando associado à presença simbólica dos mais frágeis entre nós – as crianças e jovens – que irão sentir o peso do futuro. A criação deste espaço ‘Laudato Si’, para além de simbolicamente representar o agregar de vontades unidas num ideal comum é, também, um tributo ao futuro e à fraternidade. Como refere o Papa Francisco na encíclica que ora nos cede o seu nome ‘uma verdadeira abordagem ecológica sempre se torna uma abordagem social, que deve integrar a justiça nos debates sobre o meio ambiente, para ouvir tanto o clamor da terra como o clamor dos pobres’”, conclui José Santos Cabral.