Coimbra  26 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

IPO vai ter equipa de apoio psicosocial nos cuidados paliativos

2 de Agosto 2018 Jornal Campeão: IPO vai ter equipa de apoio psicosocial nos cuidados paliativos

O Instituto Português de Oncologia (IPO) de Coimbra vai ter, dentro em breve, uma equipa de apoio psicossocial, cuja criação se deve a uma parceria entre a Fundação “La Caixa” e o Ministério da Saúde.

Esta equipa resulta do Programa Humaniza – Programa de Apoio Integral a Pessoas com Doenças Avançadas da Fundação “La Caixa” em Portugal – e terá como principal objectivo “reforçar o apoio que se proporciona a pessoas em fim de vida no âmbito das equipas de cuidados paliativos”, revela a Fundação, que tem já estas equipas em Espanha há nove anos e “com grande sucesso”.

As equipas “são constituídas por profissionais com formação e experiência para prestar apoio psicossocial e espiritual em situações de doença avançada, com vista a melhorar os aspectos emocionais (ansiedade, tristeza, mal-estar emocional, adaptação ao estado de doença), favorecendo o bem-estar dos doentes e seus familiares”, explica.

Segundo a Fundação, “esta iniciativa vem assim reforçar o cuidado integral realizado pelas equipas de cuidados paliativos, tendo em conta tanto o apoio psicológico e emocional, social e espiritual ao doente e aos seus familiares, como o apoio no luto e a profissionais de cuidados paliativos, além do acompanhamento por parte de voluntários”.

O Programa, que inclui outras nove equipas semelhantes em diferentes regiões do país (Alentejo; Algarve; Lisboa; Madeira; Porto; Ponta Delgada; Guarda e Bragança), será executado em colaboração com o Ministério da Saúde e as Secretarias de Saúde das Regiões Autónomas e prevê o financiamento de cerca de um milhão de euros anuais (100 000 euros para cada), que se poderão estender por seis anos (dependendo dos resultados).

O Humaniza está alinhado com os respectivos Programas do Governo da República e das Regiões Autónomas para esta área e de acordo com o preconizado no ‘Plano Estratégico para o Desenvolvimento dos Cuidados Paliativos’ para 2017/2018. Além da criação destas equipas, contempla, ainda, “o apoio à qualificação profissional de médicos em cuidados paliativos; a criação de equipas domiciliárias; apoio a associações para implementação de projectos de sensibilização pública e promoção de apoio no processo de doença e de luto; criação de espaços “la Caixa” em ambiente hospitalar dedicados ao acolhimento para actividades diárias de pessoas com doenças avançadas e familiares; e a criação de centros de excelência em cuidados paliativos, entre outras iniciativas”, adianta a “La Caixa”.

Em Portugal, a “La Caixa” pretende, ainda, ter intervenção nas áreas do emprego; projectos de investigação; cultura e ciência, com um investimento até 50 milhões de euros anuais.