Coimbra  18 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

IPN: Revestimento para fachadas reduz energia e emissões de CO2

7 de Agosto 2019

Um consórcio liderado pelo Instituto Pedro Nunes (IPN), sediado em Coimbra, criou um produto de revestimento para fachadas de edifícios que reduz o consumo de energia e as emissões de CO2, foi hoje anunciado.

O projecto foi executado por um consórcio constituído por 12 parceiros de cinco países (Portugal, Espanha, Reino Unido, Alemanha e Eslovénia), informou o IPN.

“A disponibilização deste novo sistema de revestimento será especialmente importante para dar um novo fôlego ao sector da reabilitação urbana, obedecendo a critérios sustentáveis e ecológicos que não desconsiderem a componente humana”, salienta o IPN.

O produto, que permite contribuir para o aumento dos níveis de eficiência energética dos edifícios, foi desenvolvido nos últimos três anos no âmbito do projecto GELCLAD, que encerrou no final de Julho com uma reunião em Gijon (Espanha).

Com um orçamento de 5,5 milhões de euros, dos quais 4,7 suportados pela União Europeia, o projecto GELCLAD criou “com sucesso um sistema avançado de isolamento de fachadas modulares, composto por um núcleo de aerogel e nano-isolante e uma camada de revestimento final feita de material ecológico”, explica o IPN.

“Actualmente, já se encontram desenvolvidos os conceitos científicos e processos de fabricação e foi criado um protótipo em escala real aplicado numa fachada de um edifício no Município de Gijón”, adianta o IPN.

Jorge Corker, coordenador do projecto, considera que este novo sistema contribui para “reduzir o consumo de energia e as emissões de CO2, permitindo ganhos até 40 por cento de eficiência de isolamento”.

“Apresenta-se como um produto inovador, que supera as propriedades oferecidas pelos sistemas de isolamento de fachada tradicionais e que terá um impacto real na poupança energética”, sublinhou.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com