Coimbra  22 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

IPC tem mais 26 camas para os seus alunos

23 de Setembro 2020 Jornal Campeão: IPC tem mais 26 camas para os seus alunos

O Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) deu a conhecer, esta quarta-feira (23), os 11 novos apartamentos na residência de Bencanta, onde passa a disponibilizar mais 26 camas para os seus alunos.

“O facto de conseguirmos alargar a oferta de alojamento sem alterarmos a imagem do edifício é algo que nos agrada. São 11 apartamentos, 26 camas. Uma oferta simbólica, mas importante”, referiu Jorge Conde, presidente do IPC, durante a visita às instalações.

São dois apartamentos de tipologia T2 e nove T1 que passam, agora, a fazer parte do alojamento do IPC que disponibiliza, no total, mais de 200 camas para os seus alunos, entre a residência de Bencanta e a da Quinta da Nora, num ano em que reduziram para metade a oferta, devido à pandemia de covid-19.

A remodelação deste edifício permitiu, ainda, a construção de uma lavandaria que servirá não só os Serviços de Acção Social como, também, os próprios alunos que habitem naquela residência.

Segundo Jorge Conde, esta é uma aposta bastante importante uma vez que a oferta de alojamento na cidade fica bastante aquém da procura, acrescentando que “a competitividade é outro factor importante, pois nestes apartamentos um aluno não bolseiro pode alugar uma cama por cerca de 100 euros, algo que não encontra no resto da cidade”, apesar das residências serem ocupadas, quase na totalidade, pelos alunos bolseiros que têm prioridade.

A obra significou um investimento de cerca de 800 000 euros, valor que, segundo Jorge Conde, equivale ao que, “curiosamente”, o IPC prevê perder este ano devido à covid-19.

“Decidimos transformar os quartos duplos em individuais o que significa uma perda de cerca de 20 000 euros em receitas de alojamento. Já para não falar da questão das refeições que vão também ser menos no ano lectivo que agora começa tendo em conta a redução do número de alunos que podem permanecer em simultâneo nas cantinas”, disse Jorge Conde.

Para compensar a questão das verbas relativas à alimentação, o presidente do IPC adiantou que vão disponibilizar o serviço de ‘take away’ nas cantinas, assim como a possibilidade de os alunos que habitam nas residências optarem pelo quarto com pensão completa ou meia pensão, que incluirá as refeições no preço mensal a pagar.