Coimbra  26 de Maio de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

IPC junta-se à ReFood para reduzir o desperdício alimentar

8 de Abril 2019

Durante os próximos dias, entre hoje e segunda-feira (15), a ReFood vai apresentar-se nas várias escolas do Instituto Politécnico de Coimbra (IPC), no âmbito de uma parceria entre as duas entidades para a redução do desperdício alimentar.

A ideia é “prevenir ou, pelo menos, reduzir o desperdício alimentar nas cantinas e cafetarias dos Serviços de Acção Social (SAS) do IPC”, refere o Instituto.

O acordo foi estabelecido no âmbito do projecto “Politécnico de Coimbra +Sustentável”, do Serviço de Saúde Ocupacional e Ambiental do IPC, com a colaboração do SAS, para que se procedam a “recolhas dos excedentes alimentares de todas as cantinas e cafetarias do SAS IPC”, adianta o IPC.

A apresentação desta iniciativa, de cariz ambiental e social, surge “não só para divulgação do trabalho que está a ser realizado, mas também para uma possível angariação de novos voluntários para esta causa”, salienta o Instituto.

A acção irá, então, passar pelo Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) – hoje, pelas 17h30; segue-se a Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC) – na quarta-feira (10), às 16h30; no mesmo dia, às 18h00, é a vez de marcar presença na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra (ESTeSC); na quinta-feira (11), pelas 16h30, a acção decorre na Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC) e na Coimbra Business School (ISCAC) será na segunda-feira (15), às 17h30.

A ReFood é uma organização independente, sem fins lucrativos, conduzida por cidadãos 100 por cento voluntários, e que tem como missão recolher os alimentos que sobram em diversas instituições e distribui por aqueles que necessitam.

O objectivo passa pela “redução do desperdício alimentar, atenuando a fome, o que contribui ainda para a diminuição da quantidade de resíduos que, de outra forma, acabariam nos aterros sanitários, agravando o problema da gestão dos resíduos nas cidades”, refere.