Coimbra  13 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

IPC adere a aliança transnacional para combater espécies invasoras

24 de Março 2021 Jornal Campeão: IPC adere a aliança transnacional para combater espécies invasoras

O Politécnico de Coimbra (IPC), através da Escola Superior Agrária (ESAC), aderiu formalmente à aliança estratégica transnacional de luta contra a erva-das-pampas (Cortaderia selloana), no âmbito do projecto internacional “LIFE + Stop Cortaderia”..

Este compromisso centra-se no objectivo comum de várias entidades nacionais e internacionais em controlar a expansão desta espécie exótica invasora em todo o Arco Atlântico.

A colonização por esta espécie exótica invasora, também conhecida por penachos ou plumas, contribui para a perda de qualidade da paisagem e da biodiversidade. A Cortaderia selloana substitui-se à vegetação autóctone, provoca perda de conectividade com a fauna e reduz a produtividade das pastagens naturais, bem como das florestas.

A par das questões ambientais, esta espécie levanta também problemas de saúde pública, como a ocorrência de alergias na população.

Para a investigadora responsável pelo projeto LIFE+ Stop Cortaderia no IPC e docente da ESAC, Hélia Marchante, “é muito significativo que o Instituto tenha aderido à Estratégia transnacional de luta contra a erva-das-pampas. Não só porque damos o exemplo (que esperamos seja seguido), mas também porque tornamos claro que mesmo uma instituição de ensino e investigação, que não tem como principal atribuição a gestão de território, pode contribuir para esta luta que é de todos.” Em concreto, acrescenta, “podemos transferir conhecimento para outras entidades, que precisem controlar a erva-

das-pampas, e podemos apostar na divulgação do problema para toda a comunidade”, salientando ainda que o ISCAC eliminou, em Outubro passado, as ervas-das-pampas que tinha nos espaços que gere, dando o exemplo e eliminando esta invasora do campus da ESAC/ISCAC.

Segundo o presidente do IPC, Jorge Conde, o Politécnico de Coimbra, as suas escolas e os seus investigadores “estão cada vez mais ao serviço da comunidade, participando com o seu saber na cocriação de novos saberes, ou simplesmente na transferência do conhecimento que criam”. É esta interacção com a sociedade e com o território, afirma, “que nos torna mais relevantes e cada vez mais parceiros das soluções para a resolução dos problemas” como é o caso deste projeto que visa controlar a erva-das-pampas.

Este projecto é coordenado pela Associação Amica e participam como sócios a AMPROS, SERCA, SEO/BirdLife, Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e a Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Coimbra.

O projecto conta com o cofinanciamento da Comissão Europeia através do programa LIFE, do Ministério Regional do Desenvolvimento Rural, Pecuária, Pesca, Alimentação e Meio Ambiente do Governo da Cantábria, da Junta da Galiza, do Ministério dos Transportes, Mobilidade e Agenda Urbana, da Câmara Municipal de Santander e das empresas privadas Solvay, Viesgo e Astander.