Coimbra  14 de Junho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Investigação da UC indica avanços na redução de sintomas em cuidados paliativos

7 de Fevereiro 2024 Jornal Campeão: Investigação da UC indica avanços na redução de sintomas em cuidados paliativos

Uma equipa de investigação, liderada pela Universidade de Coimbra (UC), desenvolveu uma intervenção inovadora destinada à formação de médicos de família em cuidados paliativos. Além disso, aplicou um novo modelo de consulta em cuidados primários direccionado a adultos com necessidades paliativas. Os resultados preliminares deste estudo-piloto revelam uma redução significativa da carga de sintomas físicos e emocionais dos doentes participantes.

O docente da Faculdade de Medicina da UC e médico da especialidade de medicina geral e familiar, Carlos Seiça Cardoso, destacou: “A nossa intervenção apresenta resultados promissores, tendo alcançado melhorias significativas na carga de sintomas, de magnitude superior às que são normalmente encontradas em intervenções em cuidados paliativos”. Entre os resultados estão a redução de sintomas físicos e emocionais, como dor e ansiedade.

O estudo-piloto envolveu a participação de 9 médicos e 53 adultos com neoplasia, doença pulmonar obstrutiva crónica, insuficiência cardíaca congestiva ou doença renal crónica em estágio avançado. Durante 12 semanas, com uma consulta a cada três semanas, os médicos de família implementaram o novo modelo de consulta, que combina o modelo de registo clínico usado por todos os médicos de família em Portugal com elementos específicos para cuidados paliativos.

Carlos Seiça Cardoso explicou: “Com este modelo foi possível testar na prática clínica quotidiana dos médicos de família a aplicabilidade desta modalidade de consulta”. O médico também destacou a importância dos cuidados de saúde primários, especialmente nos centros de saúde, como um contexto privilegiado para prestar cuidados a doentes com necessidades paliativas.

A investigação foi orientada por Bárbara Gomes, da Faculdade de Medicina da UC, e Filipe Prazeres, da Universidade da Beira Interior. Os resultados foram publicados na revista Palliative Medicine, uma das mais conceituadas no campo dos cuidados paliativos a nível mundial. O estudo completo está disponível em https://doi.org/10.1177/02692163231219682.

Este estudo destaca a importância de uma abordagem holística para pessoas com doenças graves, visando não só a sua qualidade de vida, mas também a das suas famílias. Carlos Seiça Cardoso sublinhou a necessidade de disponibilizar cuidados paliativos tanto por profissionais especializados como por profissionais generalistas, permitindo um acesso mais amplo a estes cuidados.