Coimbra  1 de Março de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Estudo da Coimbra Business School recebe menção honrosa em prémio internacional

18 de Fevereiro 2021 Jornal Campeão: Estudo da Coimbra Business School recebe menção honrosa em prémio internacional

O estudo com o título de “Real Fábrica das Sedas: elementos históricos, sistema contabilístico e modelo de governo (durante a administração Pombalina)”, da autoria de Cecília Duarte, Miguel Gonçalves e Cristina Góis, foi distinguido com a menção honrosa do Prémio de História da Contabilidade “Martim Noel Monteiro”, atribuído pela Associação Portuguesa de Técnicos de Contabilidade (APOTEC).

O prémio, nesta edição que corresponde ao ano de 2020, não registou um trabalho vencedor, no entanto o júri decidiu atribuir uma única menção honrosa no âmbito do referido galardão.

A distinção “Martim Noel Monteiro” foi criada em 1996 pela APOTEC como forma de prestar homenagem a Martim Noel Monteiro (1916-1980), um dos membros fundadores em 1977 da APOTEC. Trata-se do prémio mais antigo da Península Ibérica na área de História da Contabilidade.

A investigação constitui-se como a primeira em Portugal a identificar e a demonstrar com evidência empírica primária a implementação da contabilidade por partidas dobradas na Real Fábrica das Sedas, a maior e a mais conhecida empresa industrial pombalina. Ao fazer isto, preencheu uma lacuna importante da literatura contabilística nacional. Em complemento, o trabalho dá, ainda, a conhecer à comunidade numerosas informações inéditas, como sejam, a título exemplificativo, a identificação dos primeiros contabilistas certificados à luz da Carta de Lei de 30 de Agosto de 1770, a demonstração do estado da contadoria da Real Fábrica das Sedas e a apresentação da lista, ordenada cronologicamente para o período 1755–1788, dos provedores da Junta do Comércio, o órgão estatal fundado por Marquês de Pombal para a supervisão das actividades económicas e industriais do reino de Portugal.

O estudo também explora a envolvente histórico–contabilística e o modelo de governação adoptado pela Real Fábrica das Sedas no período em que esteve sob a égide da administração pombalina (1757–1777). O objectivo principal da investigação diz respeito à análise do método contabilístico instituído na Real Fábrica das Sedas. A pesquisa privilegiou uma metodologia qualitativa, para o que se usaram fontes primárias e secundárias de investigação, cerca de 300, no total.

A contribuição expande as raízes do conhecimento contabilístico português, designadamente por contribuir para um melhor conhecimento sobre a Real Fábrica das Sedas e por apresentar como principal resultado a demonstração cabal de que foram as partidas dobradas o método de contabilidade implementado na sua contadoria em 1757, sob os auspícios do guarda–livros alemão Conrado Bartolomeu Riege e, claro, do principal secretário de Estado de D. José I, Pombal.