Coimbra  12 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Investigação científica recebe impulso de 20 milhões de euros

26 de Março 2024 Jornal Campeão: Investigação científica recebe impulso de 20 milhões de euros

© UC | Marta Costa

 

A Sala do Senado da Universidade de Coimbra (UC) foi o cenário escolhido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior para a assinatura, a 25 de Março, de contratos-programa de apoio à contratação para a carreira de investigação científica com 31 Instituições de Ensino Superior (IES).

A escolha do local não foi por acaso. “Hoje fazemos história na cidade de Coimbra”, afirmou a Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Elvira Fortunato sublinhou que “estes contratos representam um passo determinante” para o “desenvolvimento académico e científico de Portugal”.

O mecanismo de financiamento representa uma dotação adicional de 20 milhões de euros, enquadrada no Orçamento de Estado para 2024, que vai apoiar as IES na contratação, por tempo indeterminado, de “1 065 doutorados exclusivamente para a carreira de investigação científica (900 investigadores auxiliares, 146 investigadores principais e 19 investigadores coordenadores) “, de acordo com dados fornecidos pelo Ministério.

Para o Reitor da UC, Amílcar Falcão, é um dia “bastante importante”, onde conseguimos “dar um passo em frente” relativamente a “dois dos principais problemas” das IES. “O financiamento, por um lado, e o emprego científico por outro”.

O financiamento em causa é um “primeiro reconhecimento de que as actividades de investigação em instituições do ensino superior devem dispor de um quadro de financiamento permanente atribuído pelo Orçamento de Estado”, salienta Elvira Fortunato. A ministra acrescentou que a linha de financiamento adicional surge para “fortalecer e rejuvenescer” a carreira de investigação científica nas IES e também para promover a estabilidade laboral de doutorados”.

O presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, Paulo Jorge Ferreira, e o vice-presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, Jorge Conde, também reconheceram a importância destes contratos-programa para o ensino superior nacional.