Coimbra  6 de Março de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Instituto Superior de Engenharia de Coimbra reforça modelo de ensino à distância

21 de Janeiro 2021 Jornal Campeão: Instituto Superior de Engenharia de Coimbra reforça modelo de ensino à distância

O Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) vai reforçar o modelo de ensino à distância através da implementação da tecnologia de realidade aumentada para responder aos constrangimentos que o actual confinamento coloca ao ensino prático.

Segundo aquela instituição de ensino superior, os estudantes vão poder reproduzir em ambiente virtual algumas operações laboratoriais presenciais, como desmontar motores, simular processos de soldadura ou tirar e colocar parafusos.

“Queremos que os estudantes que estão em casa continuem a estar ligados à forte componente prática do ensino e da investigação produzida”, afirma Mário Velindro, presidente do ISEC.

O responsável salienta que a instituição está muito empenhada na implementação da realidade aumentada nas aulas laboratoriais, porque, “mais do que assistir às aulas práticas, os estudantes vão poder participar na criação e produção dos conteúdos como se estivessem fisicamente na aula”.

“O objectivo é dar aos estudantes que estão em casa a oportunidade de continuarem a desenvolver conteúdos experimentais e laboratoriais, aproximando-os o mais possível do ensino presencial ministrado na escola”, refere.

Para isso, o ISEC adquiriu tecnologia de ponta e adaptou os conteúdos laboratoriais ao ensino à distância, com a criação de vídeos e imagens tutoriais e o desenvolvimento de novas plataformas que permitem a exportação de informações em 3D, interpretáveis pela realidade aumentada.

Para implementar a tecnologia da realidade aumentada na parte prática dos seus cursos, o ISEC está a preparar um protocolo com a Universidade Aberta, com vasta experiência no ensino à distância.

“Os alunos vão poder, virtualmente, ver o material como se fosse real. Um ensino à distância de qualidade é aquele que simula o mais possível o ensino presencial e é nesse sentido que estamos a trabalhar”, sublinha Mário Velindro.

O presidente do ISEC revela, ainda, que as inovações tecnológicas que a escola está a desenvolver desde o confinamento de Março de 2020 não colocam em causa a prioridade que, sempre que possível, deve ser dada ao ensino presencial.

“Estamos constantemente a pensar em novas medidas que, respeitando todas as normas impostas pela Direcção-Geral da Saúde, não interfiram com a formação prática dos nossos estudantes, especialmente daqueles que têm que ficar em casa”, afirma.

A instituição está a ministrar todas as aulas em regime presencial, excepto para os estudantes que testem positivo à covid-19 ou que estejam em isolamento profilático, que, por isso, tenham que assistir aos conteúdos leccionados a partir das suas casas.

O ISEC estabeleceu uma parceria com a Associação de Estudantes para fornecer computadores aos estudantes que necessitem de material informático para assistir às aulas ou realizar avaliações à distância.