Coimbra  7 de Agosto de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Iniciativa Liberal diz que Coimbra é o reflexo do “estado a que chegámos”

3 de Julho 2020 Jornal Campeão: Iniciativa Liberal diz que Coimbra é o reflexo do “estado a que chegámos”

O partido Iniciativa Liberal (IL) anunciou a constituição do núcleo territorial em Coimbra e dá início às actividades com conversas informais, todas as quintas-feiras, pelas 18h00, na Casa de Chá do Jardim da Sereia.

“Viver uma realidade que condena o presente e o futuro de Coimbra não nos deixa indiferentes. Sentimos como nossa a responsabilidade de seguir o exemplo de tantos que ao longo de centenas de anos procuraram alargar os horizontes de uma cidade e região que se têm vindo a fechar sobre si mesmas. Coimbra é o reflexo do ‘estado a que chegámos’” – declara o IL num a mensagem para Dia da Cidade, que se assinala este sábado.

Para o IL, “Coimbra encontra-se estagnada há mais de 20 anos. Ano após ano continua a ser ultrapassada nos rankings de desenvolvimento por outras cidades e regiões de um país que corre o sério risco de se tornar num dos mais pobres da União Europeia. Para este facto contribuem a elevada carga fiscal que inibe a iniciativa individual, o centralismo que acumula poder e impede verdadeiro escrutínio e a manipulação da concorrência por parte de um pequeno número de pessoas que protegem a mediocridade impossibilitando sucesso através do mérito individual”.

“Coimbra deve assumir a sua herança histórica e afirmar-se como a 3.ª cidade portuguesa. É obrigação de todos nós contribuir para acordar as forças vivas da região e articular os seus esforços para melhorar a qualidade de vida de quem nela vive e a visita. Cooperar para garantir que as condições sociais, económicas, e ambientais estão reunidas para não sermos condenados a um futuro de estagnação” – acrescenta o partido Iniciativa Liberal.

O IL assinala que “186 anos depois da entrada do Exército Liberal em Coimbra o Núcleo da Iniciativa Liberal na cidade está formalizado”. “O nosso projecto é claro: agregar todos quantos acreditam e defendem um Portugal mais liberal. Contribuir no campo das ideias para que mais pessoas concluam que o Estado não é a solução de todos os problemas. Promover uma transformação social e cultural que permita a que cada um de nós possa realizar os seus sonhos sem precisar de deixar a região e o país que ama” – refere.

“Somos liberais, na economia, nos costumes e na política. Defendemos a redução de impostos, a simplificação da burocracia, a liberdade de escolha. Rejeitamos qualquer tipo de discriminação, positiva ou negativa, com base no sexo, raça, orientação sexual, religião ou classe social. Acreditamos que o individuo está no centro da acção política, e deve envolver-se no processo democrático apresentando alternativas, desenvolvendo propostas e avaliando impactos” – declara o partido.