Coimbra  26 de Maio de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

“Hora do Planeta” é amanhã, entre as 20h30 e as 21h30

29 de Março 2019

Uma vez por ano, a iniciativa da World Wide Fund For Nature (WWF) que começou em 2007 na Austrália, espalha-se por todo o mundo, levando a um “apagão geral”. Este ano não será excepção e a “Hora do Planeta” acontece no próximo sábado (30), entre as 20h30 e as 21h30, em que durante este período se pede aos cidadãos, empresas e entidades públicas que desliguem as luzes.

O objectivo é “incentivar cidadãos, empresas e governos a apagarem as luzes por uma hora mostrando assim o seu apoio em torno da luta contra o aquecimento global”.

Um pouco por toda a região, os municípios e outras empresas privadas aderem a esta iniciativa global, dando o seu pequeno contributo para um mundo melhor.

Em Vila Nova de Poiares, as luzes de três locais públicos (o monumento ‘O Cristo’, o Jardim de Santo André e o jardim de Homenagem ao Poiarense) ficarão “às escuras” durante uma hora.

Já em Cantanhede, o “apagão” vai afectar o edifício dos Paços do Concelho, o Museu da Pedra, a Casa Municipal da Cultura, a Biblioteca Municipal, a Casa de Francisco Pinto, o estaleiro municipal, as Piscinas Municipais e a INOVA.

Mira irá desligar as luzes do edifício dos Paços do Concelho, da Casa do Visconde e Tribunal de Mira, da Estátua do Infante D. Pedro e do Museu do Território da Gândara, comprometendo-se a “implementar mais medidas de eficiência energética durante o resto do ano”.

Em Góis, o edifício dos Paços do Concelho, o largo do Pombal (centro histórico) e a igreja da Misericórdia vão estar “às escuras” durante a “Hora do Planeta”. À semelhança de Mira, também neste concelho do Interior fica o compromisso de, em 2019, “realizar actividades de educação ambiental para a comunidade escolar e outras para sensibilizar a população para as grandes questões ambientais”.

Na Lousã, a iniciativa terá impacto no edifício e no jardim dos Paços do Concelho, bem como no Cine Teatro.

Quanto a Miranda do Corvo, o município decidiu apagar as luzes do edifício principal da autarquia.

Em Coimbra, o Instituto Politécnico associa-se à iniciativa e irá apagar as luzes “como forma de contribuir e consciencializar para o alcance de um planeta saudável, conforme ambicionado no âmbito do seu projecto ‘Politécnico de Coimbra +Sustentável’”.

Também no centro comercial Alma Shopping, em Coimbra, a campanha de consciencialização ambiental irá afectar os visitantes que, durante 60 minutos, verão alguns espaços do centro “às escuras”. A acção deste ano tem como mote “60 minutos por uma vida melhor”, à qual se unirão os principais lojistas do Centro.

As luzes do exterior do centro comercial e as montras das lojas Inditex (Bershka, Oysho, Pull & Bear, Stradivarius, Zara e Massimo Dutti) serão apagadas, contudo “todos os serviços mínimos do centro vão ser cumpridos, garantindo que todos os espaços e lojas funcionam na sua normalidade.

Os municípios e outras entidades associam-se, assim, a esta campanha mundial de alerta para as alterações climáticas, que a partir de um evento simbólico numa única cidade (Sidney, em 2007) se transformou num dos maiores movimentos do mundo em defesa do ambiente.