Coimbra  24 de Fevereiro de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

GeneT de Coimbra deverá estar a funcionar a 100% em 2025

2 de Fevereiro 2024 Jornal Campeão: GeneT de Coimbra deverá estar a funcionar a 100% em 2025

@ O GeneT, liderado por Luís Pereira de Almeida, conta com um investimento total de 38 milhões de euros

 

A Universidade de Coimbra (UC) apresentou hoje (2) o primeiro centro de investigação dedicado à terapia génica em Portugal. Denominado GeneT – Centro de Excelência em Terapia Génica em Portugal, o centro tem como principal objectivo desenvolver tratamentos inovadores para doenças graves e sem tratamento, com especial enfoque em doenças raras.

Este projecto, liderado por Luís Pereira de Almeida, docente da Faculdade de Farmácia da UC e presidente do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC-UC), conta com um investimento total de 38 milhões de euros ao longo de seis anos.

Este financiamento será assegurado pela Comissão Europeia, que contribuirá com 15 milhões de euros através do concurso Teaming for Excellence do programa Horizonte Europa, sendo o restante financiamento garantido pelo Governo português, em igual montante. Além disso, o projecto conta com o apoio financeiro do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, assim como de diversas entidades da indústria e saúde.

O objectivo principal do GeneT é tornar-se um exemplo do potencial da investigação científica para melhorar a qualidade de vida das pessoas, especialmente aquelas afectadas por doenças raras e sem tratamento. Luís Pereira de Almeida afirmou que o centro visa produzir terapia génica, uma classe revolucionária de medicamentos que utiliza ácidos nucleicos (genes RNA ou DNA) para tratar doenças, representando uma abordagem avançada com resultados extraordinários.

O centro será dotado de condições ideais para a realização de ensaios clínicos e a produção de medicamentos, permitindo criar terapias inovadoras para diversas patologias, sobretudo aquelas consideradas raras e hereditárias. Para atingir estes objectivos, o GeneT contará com a colaboração do Gene Therapy Innovation and Manufacturing Centre da Universidade de Sheffield, no Reino Unido, e do Finnish National Virus Vector Laboratory da Universidade da Finlândia Oriental, instituições pioneiras no desenvolvimento de terapia génica.

A previsão é que o Centro esteja em pleno funcionamento até ao início de 2025, criando 80 postos de trabalho, incluindo investigadores, técnicos e profissionais relacionados com a execução do projecto. O Reitor da Universidade de Coimbra, Amílcar Falcão, destacou que as contratações e a preparação das instalações estão em curso para atingir esse objectivo.

Luís Pereira de Almeida explicou que o centro em terapia génica terá três pilares, sendo o primeiro da investigação, em que pretende expandir a intervenção a outras doenças para além das doenças do cérebro, entre as quais hematológicas, hepáticas, metabólicas e de origem microbiológica.

O segundo pilar tem a ver com a produção dos vectores para investigação, a um preço mais reduzido.

“O terceiro pilar, que é fundamental para a translação, para chegar aos doentes, é uma unidade de ensaios clínicos. Precisamos de ter integrado no mesmo centro, não só a investigação de base fundamental e aplicada, mas também a produção e a translação para a clínica, ou seja, uma unidade de ensaios clínicos”, referiu.

A cerimónia de apresentação contou com a presença da ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, que sublinhou a importância de Portugal sediar projectos mobilizadores como o GeneT. A ministra realçou o financiamento superior e o período mais longo de duração do projecto, seis anos, que envolve não apenas investigadores e empresas nacionais, mas também universidades estrangeiras de destaque na área da terapia génica.