Coimbra  17 de Janeiro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Galeria Almedina acolhe exposição de pintura de Lara Roseiro

29 de Novembro 2020 Jornal Campeão: Galeria Almedina acolhe exposição de pintura de Lara Roseiro

“Paredes que Guardam Histórias” é o título da exposição de Lara Roseiro, que está patente na Galeria Almedina, até 10 de Janeiro.

Esta é uma mostra que evidencia um processo criativo da artista plástica, “que remete os visitantes para a casa como espaço íntimo do quotidiano feminino, através de cenários interiores não acessíveis, mas reconhecíveis ou imagináveis, evidenciando aberturas que convidam à participação do observador, tornando-o um ‘voyeur’”.

A exposição pode ser visitada de terça a sexta-feira das 10h00 às 18h00 e aos sábados e domingos das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. A entrada é livre.

“As janelas que se abrem, as paredes que se quebram e as portas que se escancaram mostram a interioridade da esfera doméstica: uma quase solidão, um diálogo interior, um estado de alma. Os ambientes arquitetónicos, aparentemente vazios, evidenciam a delicadeza das figuras femininas, exibidas em situações passivas, enfatizando a serenidade da casa. Deste modo, é entre paredes que se materializam as narrativas desta exposição em que o processo artístico evoca a pintura de género, apresentando lugares comuns que permitem a entrada num universo familiar, através da ambivalência: interior e exterior”.

Lara Roseiro nasceu em Coimbra, em 1980, mas actualmente vive e trabalha em Azeitão. Possui o Mestrado em Pintura, pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa e a Licenciatura em Pintura, pela Escola Universitária das Artes de Coimbra – ARCA/EUAC.

Expõe regularmente desde 2001 em exposições individuais e colectivas.

Venceu vários prémios e distinções, entre os quais, o 1.º Prémio do “Prémio de Pintura Elena Muriel”, Oliveira de Azeméis (2016), o 2.º Prémio da 5.ª Bienal de Pintura de Arte Jovem de Penafiel (2008), o 3.º Prémio de Pintura do “Aveiro Jovem Criador” (2004) e as menções honrosas do “Aveiro Jovem Criador” (2011) e da 5.ª Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde (2007).

A sua obra está representada em colecções públicas e privadas, na Alemanha, Austrália, Canadá, Espanha, EUA, França, Holanda, Inglaterra, Itália, Luxemburgo, Noruega, Polónia, Portugal e Suécia. Realizou diversos projetos de arte pública, entre os quais, no Museu Arqueológico do Carmo, em Lisboa.