Coimbra  20 de Junho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

“Futuro da Europa” em debate por ocasião de homenagem a Calvão da Silva

28 de Janeiro 2019

O “Futuro da Europa” vai ser objecto de debate, no próximo mês, em Coimbra, por ocasião de uma homenagem ao falecido catedrático de Direito João Calvão da Silva.

Sob moderação de Álvaro Amaro, Ângelo Correia, João Almeida, António Campos e Vítor Ramalho são intervenientes num primeiro painel, na tarde de 23 de Fevereiro; a participação no segundo, sob moderação de Maurício Marques, cabe a Fernando Negrão, José Miguel Júdice, Francisco Assis e Luís Amado.

“Justiça: problemas e desafios” é o tema de uma mesa-redonda, na manhã de 23 de Fevereiro, em que, sob moderação de António Maló de Abreu, usam da palavra Licínio Lopes, Daniel Proença de Carvalho, António Marinho e Pinto e Rui Machete.

A sessão de abertura do evento com que a Juventude Social-Democrata de Coimbra presta homenagem, na Quinta das Lágrimas, ao antigo professor universitário e outrora governante realiza-se, pelas 17h00 de 22 de Fevereiro, com a participação de João Nuno Calvão da Silva e do líder concelhio da JSD/Coimbra, Carlos Travassos; segue-se uma intervenção de Aníbal Cavaco Silva e, pelas 21h00, uma de Pedro Passos Coelho.

Na noite de 23 de Fevereiro, haverá lugar a uma conferência a cargo de Luís Marques Mendes.

A preceder a sessão de encerramento do evento, em que intervirão Rui Rio e Paulo Mota Pinto, usará da palavra, na manhã de 24 de Fevereiro, Manuela Ferreira Leite.

Falecido aos 66 anos de idade, vítima de doença, João Calvão da Silva foi ministro da Administração Interna do XX Governo (segundo Executivo de Pedro Passos Coelho), secretário de Estado do IX Governo (“Bloco central”), timoneiro do Conselho de Jurisdição Nacional do PSD e vice-presidente da Comissão Política Nacional do partido sob a liderança de Luís Marques Mendes.

O jurista doutorou-se em Direito Civil, em Novembro de 1990, pela Universidade de Coimbra, tendo sido assistente de Carlos Mota Pinto, e, há 16 anos, obteve aprovação (unânime) em concurso para professor catedrático.

Além de deputado à Assembleia da República, presidiu à Comissão de Fiscalização da TAP, foi membro do Conselho Superior de Magistratura (órgão de governo dos juízes) e membro do Conselho Superior do Ministério Público, gestor da SIC (estação televisiva), administrador não executivo do banco Totta & Açores e do outrora Crédito Predial Português e pertenceu ao Conselho de Administração da seguradora Global.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com