Coimbra  22 de Maio de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Futebol: Dirigente da Briosa receptivo a uma “certa” SAD

5 de Abril 2019

O presidente da Mesa da Assembleia Geral da AAC/OAF disse, hoje, estar receptivo a que a instituição crie um determinado tipo de sociedade anónima desportiva em alternativa à Académica – SDUQ.

Embora julgue idealmente desejável a continuidade da Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas, figurino societário que permite à Briosa pertencer exclusivamente à AAC/OAF, João Vasco Ribeiro encara a SDUQ como insustentável, a médio prazo, por maioria de razão se o emblema conimbricense permanecer na II Liga.

As considerações ocorreram, hoje, em conferência de Imprensa para divulgação da data da eleição dos órgãos sociais da Académica/OAF, quando João Vasco respondeu a uma pergunta de um jornalista do “Campeão”.

O dirigente indicou que, com ele no cargo, uma eventual alternativa à SDUQ só será instituída mediante referendo, mecanismo adoptado, em 2013, quando uma maioria de sócios rejeitou a apologia que o então timoneiro do Organismo Autónomo de Futebol da AAC, José Eduardo Simões, fez em relação a uma sociedade anónima desportiva.

Ao exprimir receio de que a SDUQ seja insustentável, Ribeiro inclinou-se para uma SAD em que a AAC/OAF possua direitos especiais de voto.

Por outro lado, João Vasco vai propor a criação de um prémio de mérito, com o nome de Vítor Campos (recentemente falecido), destinado a distinguir o brioso jovem futebolista possuidor de melhor nota para ingresso no ensino superior.