Coimbra  21 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Funcionária da AC aceita ressarcir colega para não ser julgada

10 de Maio 2018 Jornal Campeão: Funcionária da AC aceita ressarcir colega para não ser julgada

Uma funcionária da empresa municipal Águas de Coimbra (AC) acaba de aceitar ressarcir um colega para não ser julgada, a par do marido, sob acusação de furto qualificado, apurou o “Campeão”.

A co-arguida, Z.F., tem secretariado o Conselho de Administração da sociedade pertencente à Câmara Municipal de Coimbra.

O co-arguido, A.F., aposentado, é membro dos órgãos federativos do PS/Coimbra.

No âmbito de uma transacção, homologada por uma juíza, os arguidos confessaram-se devedores de 32 500 euros a um colega de Z.F., Carlos Dias, que sofre de doença.

O casal já entregou 15 000 euros ao queixoso e comprometeu-se a dar-lhe 17 500 em sete prestações mensais.

Na sequência da morte do pai de Carlos Dias, Z.F. terá gizado um plano, com o marido, para se apropriar de quantias monetárias pertencentes ao colega.

Foi essa a conclusão do Ministério Público (MP), que, através do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Coimbra, imputou aos arguidos, em co-autoria, a presumível prática de crime de furto qualificado.

O MP ponderou proceder à suspensão provisória do processo, mas Carlos Dias, representado pelo advogado Júlio Carreira, opôs-se a que fosse accionado aquele instituto.

Embora tenha invocado que movimentações operadas em contas bancárias do queixoso ocorreram para fazer face a alegadas despesas de Carlos Dias, Z.F. aceitou subscrever uma declaração de dívida para se subtrair a audiência de julgamento.