Coimbra  28 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Freguesias urbanas de Coimbra mais satisfeitas com transportes públicos

10 de Outubro 2020 Jornal Campeão: Freguesias urbanas de Coimbra mais satisfeitas com transportes públicos

Os munícipes das freguesias urbanas de Coimbra afirmam estar mais satisfeitos com a oferta de transporte público do que os das rurais, segundo revelam dados preliminares de um inquérito com vista à criação de uma Estratégia Municipal de Saúde.

O inquérito, divulgado ontem (09), durante a Assembleia Municipal de Coimbra, pretende ajudar a definir as prioridades na Estratégia Municipal da Saúde, cujo plano de acção deverá ser apresentado no final do ano, afirmou a coordenadora do Centro de Estudos em Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Coimbra, Paula Santana, que apresentou os dados.

Nas freguesias rurais, apenas um terço dos inquiridos considerou ser fácil usar os transportes públicos, ao inverso dos cerca de 61 por cento em freguesias urbanas.

Já no uso da bicicleta, apenas 35 por cento dos inquiridos consideraram ser fácil andar de bicicleta, sendo um valor substancialmente maior na população rural, em que quase 50 por cento considera que é fácil usar este meio de transporte na sua zona de residência, referiu Paula Santana.

As prioridades apontadas pelas populações a viver na área urbana de Coimbra centraram-se, por esta ordem, na habitação a preços acessíveis, na mobilidade pedonal, na limpeza e manutenção urbana, no transporte público e na arborização.

Já nas zonas periurbanas, os inquiridos consideraram a criação de espaços públicos de lazer a área mais prioritária de intervenção, seguindo-se outras áreas elencadas pelos habitantes da área urbana.

Na zona rural, as prioridades centram-se no transporte público, cuidados de saúde primários e equipamentos sociais para idosos, além da mobilidade pedonal e da limpeza, afirmou a responsável.

De acordo com Paula Santana, o inquérito contou com 30 por cento das respostas recolhidas presencialmente, tendo registado um total de quase 1 200 questionários preenchidos, com uma distribuição entre as três zonas, sexo e grupos etários.

Quase 60 por cento dos inquiridos avaliaram o seu estado de saúde como bom ou muito bom, sendo que as freguesias urbanas têm uma percepção mais positiva da sua saúde, notou a investigadora.

Cerca de metade da população regista excesso de peso ou obesidade, apesar de dois terços referirem que praticam actividade física.

Se nas freguesias urbanas e periurbanas, as doenças mais referidas são a hipertensão e a ansiedade, nas freguesias rurais são elencados problemas nos ossos e músculos e no sistema respiratório, disse Paula Santana.

Durante a Assembleia Municipal, o presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, realçou a importância da Estratégia Municipal de Saúde, processo que foi desencadeado em Março.

No decorrer da assembleia foi aprovada a proposta da Câmara de Coimbra de manter a taxa base do imposto municipal sobre imóveis (IMI) relativo a prédios urbanos no valor mais baixo legalmente possível, que é de 0,30 por cento.

A proposta contou com os votos favoráveis de PS, Cidadãos por Coimbra e CDU, abstenção do PSD e votos contra do Somos Coimbra e CDS-PP.