Coimbra  25 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Forças políticas de Coimbra unem-se na organização de almoço de confraternização

28 de Fevereiro 2024 Jornal Campeão: Forças políticas de Coimbra unem-se na organização de almoço de confraternização

Várias forças políticas de Coimbra uniram-se para preparar um almoço de confraternização, no dia em que se celebram os 50 anos da Revolução dos Cravos, “mobilizando pessoas” para o habitual desfile que assinala o 25 de Abril.

“Singelamente acordámos em fazer uma grande confraternização no dia 25 de Abril, não competindo com outras iniciativas, e até ajudando a mobilizar pessoas para o desfile de manifestação que se realiza depois, às 15h00”, anunciou Jorge Gouveia Monteiro, do movimento Cidadãos por Coimbra (CpC).

Em conferência de imprensa, que decorreu hoje, ao final da manhã, junto ao Monumento ao 25 de Abril, a poucos metros do edifício que há 50 anos era a sede da PIDE (Polícia Internacional e de Defesa do Estado) em Coimbra, Jorge Gouveia Monteiro informou que o almoço de confraternização terá lugar no Jardim da Sereia, pelas 12h30.

Será aberto a toda a população e terá “um preço inclusivo”, que ainda não está definido.

“Estamos gostosamente juntos, porque achamos que não faz nenhum sentido, em matérias que nos são comuns e com preocupações que nos são comuns, andarmos necessariamente separados, cada um na sua”, acrescentou.

Partido Socialista, Bloco de Esquerda, Partido Livre e PAN juntaram-se ao movimento Cidadãos por Coimbra, e, desde Dezembro do ano passado, vêm desenhando esta iniciativa que tem como lema “Muita Força Abril!”.

“O que nos congregou foi uma percepção de falta de democraticidade na condução dos destinos da nossa cidade. Podemos desfiar exemplos, são muitos de uma trajectória, porque já não se baseia só num ponto ou dois: há um conjunto de pontos que define uma trajectória de declínio da vida democrática no nosso município e isso preocupa-nos”, referiu.

Jorge Gouveia Monteiro justificou a realização desta iniciativa com a necessidade de a população de Coimbra receber um sinal das forças que não constituem a maioria do executivo camarário que governa o concelho.

“Governa muito restritamente e confiando só em si própria. O povo de Coimbra precisa de um sinal de que quem não se revê nesta maneira de conduzir os destinos da cidade e de quem é capaz de cooperar e de fazer coisas em conjunto, sem nenhuma agenda”, evidenciou.

Questionado sobre a ausência do PCP na organização desta iniciativa, Jorge Gouveia Monteiro explicou que o partido foi convidado desde a primeira reunião e que “ainda está a tempo”, uma vez que ainda faltam dois meses para o almoço de confraternização.