Coimbra  21 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Fogos: Arganil investe 700 000 euros a recuperar imóveis municipais

13 de Agosto 2019

As obras de recuperação de três imóveis municipais de Arganil, danificados pelo incêndio de 15 de Outubro de 2017, vão custar 700 000 euros, segundo informou a Câmara.

Com uma comparticipação financeira do Fundo de Solidariedade da União Europeia (FSUE), na sequência de uma candidatura do Município, presidido por Luís Paulo Costa, estão a ser recuperadas a Casa da Quinta Dr. Urbano, na Benfeita, e as antigas escolas primárias de Porto Silvado, na freguesia de Pomares, e de Anceriz, na União de Freguesias de Vila Cova do Alva e Anceriz.

“O atraso registado na disponibilização das verbas do FSUE, por parte do Governo, em nada afectou a vontade do Município em continuar a transformar os obstáculos, nomeadamente os que resultaram do malfadado incêndio de 2017, em oportunidades, dando uma nova vida aos equipamentos municipais, rentabilizando-os e colocando-os à disposição da comunidade”, afirma o social-democrata Luís Paulo Costa.

Construída em 1873, a Quinta Dr. Urbano manteve o nome do antigo proprietário, “mesmo depois de ser adquirida pela Câmara Municipal”.

Na década de 90 do século XX, “o edifício principal, conhecido como ‘casarão’, serviu de sede aos escuteiros e, numa fase transitória, acolheu os alunos do jardim-de-infância e da escola primária da freguesia de Benfeita”.

“A intervenção em curso prevê a reposição das condições de funcionalidade, preservando as características próprias do lugar”, segundo a Câmara.

“O empenho da autarquia passa por reabilitar esta propriedade, sem que se perca a identidade e essência do conjunto arquitectónico da Quinta Dr. Urbano, assim como o carácter secular do edifício”, explica Luís Paulo Costa.

A preservação das características originais dos edifícios “foi também a preocupação da autarquia na reabilitação, recuperação e reconstrução dos edifícios escolares” de Porto Silvado e Anceriz.

Esta tripla intervenção “”az parte de um expressivo investimento que o Município de Arganil tem previsto executar para colmatar os danos e prejuízos inventariados após os incêndios, contando, para isso, com a comparticipação do FSUE”.

Os grandes incêndios que eclodiram em Pedrógão Grande e na Lousã, distritos de Leiria e Coimbra, em 17 de Junho e 15 de Outubro de 2017, respectivamente, originaram 116 mortos e algumas centenas de feridos, além de avultados prejuízos materiais e ambientais, designadamente na agricultura, floresta, indústria, habitação e equipamentos públicos.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com