Coimbra  1 de Março de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Filomena Amaral: Obra da escritora apresentada em Moscovo

14 de Junho 2017 Jornal Campeão: Filomena Amaral: Obra da escritora apresentada em Moscovo

A obra da escritora Ana Filomena Amaral, residente na Lousã, é apresentada, quinta-feira (15), na Biblioteca Nacional da Rússia, em Moscovo, e, segunda-feira (19), na capital da Lituânia.

Em comunicado, a Biblioteca Nacional russa diz tratar-se de um “encontro dos leitores de Ana Filomena Amaral com a autora, que irá falar sobre ela e acerca dos seus livros”.

Segundo a mesma fonte, os leitores podem pôr questões, “proporcionano uma rara e interessante oportunidade, para o público russo, de falar direvtamente com uma escritora portuguesa”.

Na sessão em Moscovo, além da autora, participam um conselheiro da Embaixada de Portugal, Paulo Santos, um representante do Instituto Camões, Zhuan Karlush Mendonça, e o editor científico do departamento de publicações da Biblioteca Nacional russa, Anton Chernov.

Ana Filomena Amaral tem sido convidada para apresentar os seus diferentes títulos na Europa e nos Estados Unidos da América.

Em 2016, apresentou “Casa da Sorte”, livro traduzido para inglês com o título “Vaulted home – Those who cheated death”, na Roménia, Países Baixos, Malta, Turquia e em Taiwan.

Depois de Moscovo, a 19 de Junho, a obra da autora do romance “O cassador de muros”, já traduzido para cinco línguas, é apresentada na Biblioteca Nacional da Lituânia, em Vilnius.

Além de ficção, Ana Filomena Amaral é autora de obras como a monografia histórica “Avintes na margem esquerda do Douro”, tendo ainda publicada “Góis entre o rio e a montanha” e “Maria de Lourdes Pintasilgo – os anos da Juventude Universitária Católica Feminina (1952 – 1956)”.

Filomena Amaral, 55 anos de idade, natural de Avintes (Porto), é mestre em História Económica e Social Contemporânea pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

Na ficção estreou-se, em 1989, com “Uma porta abria-se a fogo”, título que precedeu “O segredo do cavalo-marinho”, “A Casa da Sorte”, “A coroa de Góis” e “Pão e água”.

Há dois anos, o conto “Mulheres de água” valeu-lhe o Prémio Internacional “Cidade de Araçatuba” (Brasil).