Coimbra  25 de Fevereiro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Figueiró dos Vinhos: Condenado quer ser candidato independente

9 de Junho 2017 Jornal Campeão: Figueiró dos Vinhos: Condenado quer ser candidato independente

Apesar de condenado, tendo havido lugar a suspensão da pena, o antigo vereador Carlos Lopes vai tentar candidatar-se, como independente, à presidência da Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos (CMFV).

O “Campeão” sabe que aquele ex-deputado (PS) à Assembleia da República está a angariar assinaturas para se perfilar como opositor do líder do Município figueiroense, Jorge Abreu (socialista).

Carlos Lopes foi punido, há três anos e meio, pelo Tribunal da Relação de Coimbra, com 60 meses de cadeia e houve lugar a suspensão da execução da pena.

O arguido foi condenado por crimes de corrupção passiva e peculato, ambos na forma continuada, e por um crime de falsificação.

Pode haver lugar à suspensão da execução de uma pena de prisão se ela não exceder cinco anos caso o Tribunal entenda que a medida é susceptível de ser encarada pelo(a) arguido(a) como uma advertência capaz de lhe fazer arrepiar caminho.

A punição corresponde ao deferimento dado, em parte, a um recurso interposto acerca de uma anterior condenação, pelo Tribunal da Sertã, a 11 anos de prisão.

O primeiro julgamento, a cargo do Tribunal de Figueiró dos Vinhos, teve como desfecho a absolvição, mas foi anulado e houve lugar a repetição da audiência na outrora comarca da Sertã (vizinha da antiga figueiroense).

O processo, em que foi deduzida acusação pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (Ministério Público) ao abrigo de um inquérito aberto pela Policia Judiciária, remonta a 2005 e incidia sobre alegadas situações de financiamento partidário ilícito (incluindo suposto desvio de fundos da edilidade para a campanha eleitoral autárquica do PS) e em presumível violação de contas do Município de Figueiró.

Na base da peça acusatória está uma investigação à campanha para as eleições autárquicas de 2005, ocasião em que o socialista Fernando Manata perdeu a presidência da Câmara figueiroense para Rui Silva (PSD). Hoje em dia, o Município é liderado por Jorge Abreu (PS).

Carlos Lopes, que chefiou o gabinete de apoio pessoal do outrora governador civil de Leiria José Humberto Paiva de Carvalho, dirigiu uma divisão camarária em Figueiró dos Vinhos.

Manata, que liderou a CMFV entre 1990 e 2005, demarcou-se do camarada, em meados de 2009, sem o hostilizar, tendo invocado que discordava da candidatura de Lopes à presidência da autarquia em eventual acumulação, naquele ano, com a inclusão na lista de candidatos a deputados do PS ao Parlamento.

Os juízes desembargadores assinalam que a corrupção constitui “a saliência viva do icebergue que levou Portugal a um estado débil e dependente (…), apesar do ingresso, lauto, de fundos” provenientes da União Europeia, aludindo, por isso, a necessidades de prevenção face à “convicção generalizada de que neste tipo de crimes nada acontece ao agente”.