Coimbra  5 de Março de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Figueira da Foz: PSD quer requalificação da Linha do Oeste incluída no PRR

23 de Fevereiro 2021 Jornal Campeão: Figueira da Foz: PSD quer requalificação da Linha do Oeste incluída no PRR

Os membros do PSD da Assembleia Municipal da Figueira da Foz anunciaram, hoje, que irão propor na próxima reunião daquele órgão, na sexta-feira, a requalificação da Linha do Oeste entre Figueira da Foz e Caldas da Rainha.

A proposta é no sentido de aquele investimento ser incluído no PRR – Plano de Recuperação e Resiliência, solicitando uma “acção imediata” do presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, quer junto da CIM – Região de Coimbra, quer do Governo, no sentido de, nesta fase de discussão pública do documento estruturante, serem “contempladas as obras, decisivas para a mobilidade e para o desenvolvimento sustentável do concelho e de toda a região Centro-Oeste”.

O Plano de Recuperação e Resiliência de Portugal, para aceder às verbas comunitárias pós-crise da covid-19, prevê 36 reformas e 77 investimentos nas áreas sociais, clima e digitalização, num total de 13,9 mil milhões de euros em subvenções.

Depois de um rascunho apresentado à Comissão Europeia em Outubro passado, e de um processo de conversações com Bruxelas, o Governo português colocou na semana passada em consulta pública a versão preliminar e resumida do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Coimbra também com queixas

Em Coimbra, o presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, disse, na segunda-feira, que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) apresentado pelo Governo, que está em discussão pública, contém “omissões e preocupações” relativamente ao município.

“Estão identificados investimentos há muito esperados para o concelho de Coimbra, com impacto em toda a região Centro, sobre os quais o documento nada diz, pese embora muitos dos investimentos previstos na Dimensão Resiliência serem transversais a todas as regiões, como o alargamento da Rede Nacional de Cuidados Continuados e da Rede Nacional de Cuidados Paliativos”, disse o autarca, na sessão de Câmara.

Referindo que está previsto um investimento total de 1,38 mil milhões de euros para reforçar o Serviço Nacional de Saúde (SNS), Manuel Machado frisou que “ficaria bem mais satisfeito e sossegado se o PRR identificasse como investimentos prioritários a nova maternidade de Coimbra e a requalificação do Hospital dos Covões”.

O presidente da autarquia salientou ainda, como nota positiva, a criação de uma nova unidade forense no Hospital Sobral Cid, integrado no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), no âmbito da reforma da saúde mental.

No sector social, Manuel Machado revelou que estão previstos investimentos de 250 milhões de euros para eliminar bolsas de pobreza nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, mas que “não está previsto qualquer investimento nesta área para outras zonas do país”.

O autarca considera, ainda, que é preciso clarificar que os investimentos na área da Transição Climática para apoio à aquisição de frotas de transportes públicos limpos e a instalação dos respetivos postos de carregamento/abastecimento não “serão apenas direccionados para as áreas metropolitanas”.