Coimbra  7 de Outubro de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Figueira da Foz prepara expansão do corredor verde do Vale das Abadias

31 de Agosto 2022 Jornal Campeão: Figueira da Foz prepara expansão do corredor verde do Vale das Abadias

A expansão do corredor verde do Vale das Abadias, na Figueira da Foz, deverá ocupar uma superfície de 11 hectares, anunciou esta quarta-feira o Município.

No início da sessão de Câmara, a autarquia liderada por Pedro Santana Lopes apresentou uma proposta de delimitação que vai do prolongamento da Avenida das Abadias até à Avenida Mário Soares e à Serra da Boa Viagem.

A futura zona verde e de fruição envolve 19 parcelas, de 12 proprietários, com quem a Câmara figueirense se encontra a negociar, tendo já realizado 14 reuniões, no sentido de conduzir o processo “em concertação com os envolvidos”.

“É uma obra que consideramos relevante para a cidade”, sublinhou Santana Lopes, que espera executar a obra ainda neste mandato, “se o mundo não duplicar os preços que já duplicaram”.

Para o presidente da Câmara da Figueira da Foz, “seria muito mau se aquela zona tivesse outro tipo de ocupação do que aquele que está previsto, porque isso ia ferir o que já está feito e tão importante é para a cidade”.

Na sessão de Câmara, o autarca manifestou preocupação pelas revisões sucessivas de preços e as suas implicações no Orçamento deste ano, referindo que, actualmente, o Município já vai com uma despesa em intervenções superior em mais de 680 mil euros.

Santana Lopes disse ainda que o Município vai sofrer um aumento “brutal” no tratamento de resíduos, cujos custos quase duplicaram, que vai absorver uma verba de cerca de 1,8 milhões de euros.

O Município deliberou ainda suspender a proposta de actualização do tarifário da água de abastecimento público, concessionada à Águas da Figueira, que propunha um aumento de 11,3%.

“Accionámos o pedido de revisão da fórmula de cálculo [da actualização]. Portanto, o processo fica suspenso agora”, frisou o presidente da Câmara, referindo não concordar com o aumento previsto.

Também o vereador socialista Carlos Monteiro, ex-presidente da autarquia, considerou que o aumento proposto pela empresa Águas da Figueira iria “criar dificuldades a muitas famílias, apesar das atenuações das tarifas sociais”.