Coimbra  25 de Janeiro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Figueira da Foz: Livro de receitas aproxima o Centro e Castela e Leão

11 de Dezembro 2019

Um livro, editado na Figueira da Foz e hoje apresentado publicamente, compila 57 receitas de cinco cidades da região Centro e três da comunidade autónoma espanhola de Castela e Leão, pretendendo aproximar ambos os países pela gastronomia.

Intitulado “As Nossas Mesas – Nuestras Tablas”, o livro, bilingue, sustenta-se em receituários tradicionais da Rede de Cidades Cencyl, projecto apoiado pela União Europeia e que reúne, em Portugal, os centros urbanos de Aveiro, Coimbra, Figueira da Foz, Guarda e Viseu aos espanhóis de Ciudad Rodrigo, Salamanca e Valladolid.

Na introdução da obra lê-se que “esta visa não só valorizar, defender e divulgar diferentes gastronomias, mas também fortalecer e acrescentar valor à imagem do território da Rede, através dos seus produtos endógenos e da sua heterogeneidade”.

“Mais do que uma compilação de receitas”, o livro – editado pelo Município da Figueira da Foz com a coordenação de Guida Cândido – “é uma estratégia clara, coesa e inclusiva de promoção do crescimento e sustentabilidade económica, social e ambiental” do território das Cidades Cencyl.

“Fundamentalmente, é unir cidades, na perspectiva de divulgar uma gastronomia extraordinária que têm e aproximar sempre os produtos que existem nestes territórios à cozinha”, refere Carlos Monteiro, presidente da Câmara da Figueira da Foz.

“Até em termos de sustentabilidade é da maior relevância, estamos a comer o que se produz na região”, argumentou o autarca, em declarações à margem de uma iniciativa de degustação de algumas das receitas que integram o livro, desde pratos de carne e peixe, até várias receitas de doçaria tradicional.

Destacando a importância do intercâmbio, Carlos Monteiro notou que os representantes das cidades presentes (seis, à excepção de Viseu e Valladolid) provaram algumas coisas que não conheciam – como a feijoada de samos, bexiga natatória do bacalhau, proposta pela Figueira da Foz – enquanto que aos portugueses a cidade de Ciudad Rodrigo, por exemplo, contrapôs com grão-de-bico com míscaros e focinho de porco ibérico, um dos pratos também desconhecidos do lado de cá da fronteira.

Carlos Monteiro destacou, ainda, outros projectos “interessantes”, passíveis de serem concretizados no âmbito deste intercâmbio, como a perspectiva de levar “alguns destes pratos tradicionais aos refeitórios das escolas”. “Porque se este trabalho for feito de base, valorizamos ainda mais e perpetuamos estas tradições”, defendeu.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com