Coimbra  19 de Setembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Figueira da Foz: Festimaiorca é cultura, tradição e conhecimento

12 de Julho 2019

De hoje a dia 18 a vila de Maiorca e a Figueira da Foz são palco da 45.ª edição do FestiMaiorca – Festival Internacional de Folclore, este ano com a presença de sete países.

No total participam 480 folcloristas, dos quais 180 são estrangeiros provenientes do Benim, China, Colômbia, México, Rússia e Sérvia, apoiados por 70 voluntários.

Além da actuação dos grupos estrangeiros, estão previstas as de cariz nacional provenientes de Almeirim, Fânzeres, Vinhó, Caranguejeira, Alfarelos, Buarcos e claro, os anfitriões de Maiorca.

Sofia Jacques, da organização – Rancho Folclórico da Casa do Povo de Maiorca – apresentou o evento que volta a apostar no reforço da qualidade das actuações, mas também no apoio directo aos grupos convidados que ficam alojados no Colégio de Quiaios.

Seguros para todos os intervenientes, cerca de 4 000 refeições e visitas ao património local e de Coimbra (espaços museológicos e outros) e pagamento de três euros por dia a cada participante fazem parte do modelo deste ano.

Adianta, ainda, Luís Gonçalves, pela organização, que o evento também se associa a outras realizações, como o encontro de danças Bailia, promovido pelo Grupo Recreativo Vilaverdense,que decorre hoje, além de actuações em algumas freguesias do concelho.

O FestiMaiorca terá epicentro de amanhã (sábado) e quarta-feira (dia 17) no Terreiro do Paço (Maiorca) e de domingo (dia14) a quinta-feira (dia 18) junto à “Preguiça”, na envolvente ao Forte de Santa Catarina. Aqui e como complemento, está reservada uma área para mostra de artesanato.

A sessão solene de abertura realiza-se amanhã (sábado), às 16h00, na Câmara Municipal da Figueira da Foz, seguindo-se o já tradicional desfile do traje. A Gala de Abertura terá lugar às 22h00 desse dia.

Rui Ferreira, presidente da Junta de Freguesia de Maiorca, enalteceu esta realização que dá a conhecer cultura e tradições do mundo reforçando o apoio da instituição a que preside.

Carlos Monteiro sublinhou “a dimensão supra concelhia e até supra distrital” do Festimaiorca, que “apresenta sempre uma qualidade extraordinária”. Na opinião do presidente da Câmara, o certame revela “um trabalho único, de aproximação das pessoas, com inovação ano após ano”. “O Festimaiorca é cultura, é tradição, é conhecimento, é um evento ansiado todos os anos pelos figueirenses e por quem nos visita”, acrescentou.

O edil apontou as celebrações dos 825 anos do Foral de Maiorca, o Festimaiorca e, em Agosto, a FINDAGRIM, para considerar que “estes eventos só são possíveis com o envolvimento de todos, que unem laços e fortalecem a identidade de uma comunidade”.

O FestiMaiorca – Festival Internacional de Folclore de Maiorca começou em 1975, um pouco timidamente, pelas mãos de António Maia Cardoso, Manuel Pinto da Costa (já falecidos) e José Maria Verdete, até ocupar um lugar de destaque no calendário dos festivais internacionais que se realizam em Portugal.

Ao longo das suas 43 edições já passaram pelo palco do Terreiro do Paço grupos oriundos de mais de 40 países: Áustria, Espanha, França, Itália, Índia Bélgica, Holanda, Alemanha, Grécia, Turquia, Sérvia, Suécia, Rússia, Geórgia, Ucrânia, Lituânia, Hungria, Roménia, Bulgária, México, Argentina, Israel, Togo, Serra Leoa, Timor, Republica Checa, Eslováquia, Eslovénia, Peru, Indonésia, Uruguai, Venezuela, USA, Bolívia, Equador, Colômbia, Senegal, Estónia, Letónia, Polonia, Bielorrússia, Roménia, bem como das várias regiões de Portugal, incluindo Açores e Madeira.

Cultura do Mundo no Centro

Luís Gonçalves anunciou uma novidade: a parceria estabelecida com o festival Folk Cantanhede, sob o lema “Cultura do Mundo no Centro de Portugal”, que começou no dia 06 e vai até dia 19.

Neste período, os vários grupos participam em realizações em diversos pontos da região Centro, como Cantanhede, Figueira da Foz, Montemor-o-Velho, Mealhada, Mira, Anadia, Coimbra, Ansião, Miranda do Corvo, Oliveira do Hospital, Arganil e Leiria.

Resumidamente, pretende-se com esta parceria aproveitar os recursos e as realizações numa grande festa que une vários municípios.

“A Cultura do Mundo no Centro de Portugal é um dos maiores projectos folclóricos nacionais e que envolve este ano 16 grupos estrangeiros e 30 nacionais”, explicou Luís Gonçalves, relevando a projecção internacional de todas as actuações. Brasil, Colômbia, Geórgia, Polónia, México, Sri Lanka, Índia, Quénia, Espanha, Benim, Rússia, Sérvia, China e Portugal mostram, assim, o seu folclore.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com